ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

Açores: Antiga fábrica de álcool é agora um centro de artes premiado
Revista PORT.COM • 22-Set-2016
Açores: Antiga fábrica de álcool é agora um centro de artes premiado



Em 2015, o centro foi incluído na lista dos 40 candidatos selecionados para o Prémio de Arquitetura Contemporânea da União Europeia Mies van der Rohe 2015.

A antiga fábrica do álcool da Ribeira Grande, onde nasceu o multipremiado Arquipélago – Centro de Artes Contemporâneas, deu notoriedade internacional à região, assumindo-se já como um ícone cultural dos Açores com lugar no roteiro turístico.

Para Fátima Marques Pereira, diretora do Arquipélago, inaugurado a 29 de março de 2015, depois de uma fase em que o “extraordinário” projeto de arquitetura foi reconhecido internacionalmente, cabe agora também à programação afirmar-se cada vez mais.

Pela sua localização, no meio do Atlântico, o centro, na ilha de São Miguel, assume um papel fundamental na consolidação de uma identidade cultural/artística local pensada à escala global, considera a responsável.

“A abertura do Arquipélago foi bastante importante para a Ribeira Grande, para os Açores. Estamos a falar na reutilização de uma fábrica do século XIX. Esta questão arquitetónica foi absolutamente excecional, tendo em conta a intervenção que os arquitetos fizeram neste espaço partindo de uma preexistência”, frisa Fátima Marques Pereira.

Com uma área útil de seis mil metros quadrados, a reabilitação desta antiga fábrica custou 13 milhões de euros, numa iniciativa do Governo Regional.

Apesar da sua juventude, com pouco mais de um ano, o equipamento cultural e artístico já é visto como um caso de sucesso no mundo das artes, recebendo uma média diária de 38 visitantes.

“Isto significa que as pessoas vêm propositadamente visitar o Arquipélago”, acrescenta a diretora, assegurando que a grande preocupação do centro é envolver a comunidade e as escolas na arte e cultura contemporâneas.

Ciclos de cinema, performances, fotografia, teatro, música, serviço educativo, residências artísticas, dança contemporânea e ‘workshops’ preenchem o leque da oferta cultural do espaço distinguido já neste ano de 2016 com o Prémio Fomento de las Artes e del Diseño (FAD) de Arquitetura.

O Centro de Artes Contemporâneas foi, também, um dos quatro projetos portugueses premiados na X Bienal Ibero-Americana de Arquitetura e Urbanismo.


Etiquetas
Partilhar

OPINIÃO
Portugal hoje, um país que incentiva ao regresso
Paulo Pisco
Deputado do PS eleito pelos portugueses na Europa
De olhos postos em África com uma estratégia de futuro
Peter Dawson
Presidente do grupo Garland
Não há tempo para se perder tempo!
Vítor Ramalho
Secretário-Geral da UCCLA
DISCURSO DIRETO
O português que ajudou a 'erguer' as memórias do World Trade Center
Luís Mendes, arquiteto
ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA
«Mobilidade no espaço da lusofonia é um dos maiores desafios»
Teresa Ribeiro, SENEC
PORTUGAL
The last man on the moon
José Caria, diretor-adjunto da PORT.COM
PORTUGAL
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ