ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

Bola doce é obrigatória nas mesas de Páscoa do Planalto Mirandês
Revista PORT.COM • 15-Abr-2017
Bola doce é obrigatória nas mesas de Páscoa do Planalto Mirandês



Em tempo de Páscoa, a bola doce é presença obrigatória à mesa dos apreciadores do Planalto Mirandês, no distrito de Bragança, devido ao seu sabor único e textura diferenciada, o que lhe permitiu ganhar visibilidade fora do seu território.

A bola doce é um dos ícones da doçaria conventual do Planalto Mirandês, confecionada com canela e açúcar às camadas, sendo amassada à mão, cozida num forno tradicional e servida na quadra pascal.

Para confecionar este folar, os ingredientes terão de ser bem selecionados e a massa bem esticada para dar origem a um doce húmido, com camadas muito finas separadas por canela e açúcar.

Segundo a tradição mais antiga, esta bola é confecionada com farinha de trigo, ovos, canela, açúcar, fermento padeiro, manteiga, azeite, e sal. A quantidade de ingredientes depende do peso de cada bola.

A bola doce mirandesa deixou de ser um fenómeno sazonal e assumiu o papel de produto regional que já é vendido durante todo o ano em Lisboa, no Porto e em alguns pontos de França e Espanha.

Segundo o historiador, António Rodrigues Mourinho, a bola doce é uma peça de pastelaria, com origem, pelo menos, em tempos dos descobrimentos portugueses.

"Há registos pelo menos desde 1510 que indicam [esta como] a data mais provável da introdução da bola doce nas mesas dos habitantes do Planalto Mirandês. A tradição foi herdada dos conventos ou de famílias do clero e de gente rica. O povo foi modificando à maneira regional, dando-lhe uma forma e sabor próprio que a distingue da doçaria de outras regiões", afiançou o investigador.

Dadas as suas características, a autarquia deu início o processo de registo da Bola Doce Mirandesa para que seja considerada um "produto genuíno" da região do Planalto Mirandês.

A bola doce tem mesmo um certame que lhe é dedicado e que termina hoje na cidade de Miranda do Douro, numa organização conjunta do município e de uma associação de produtores.


Etiquetas
Partilhar

OPINIÃO
O acervo bibliográfico sobre a emigração portuguesa
Daniel Bastos
Historiador
Defender a União Europeia e os direitos de cidadania
Paulo Pisco
Deputado do PS
Saibamos aumentar a participação cívica das nossas comunidades
José Cesário
Deputado do PSD
DISCURSO DIRETO
Dia de Portugal e 5.º aniversário da Revista PORT.COM
Marcelo Rebelo de Sousa
PORTUGAL
Língua portuguesa, um passaporte para o presente e para o futuro
Luís Faro Ramos, pres. do Camões I.P.
PORTUGAL
Função de grande responsabilidade e relevância social
José Luís Carneiro, SEC
PORTUGAL
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ