ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

Tecnologia portuguesa promete ajudar a tornar o espaço mais limpo
Revista PORT.COM • 15-Jun-2017
Tecnologia portuguesa promete ajudar a tornar o espaço mais limpo



A empresa D-Orbit Portugal desenvolveu a tecnologia do satélite D-Sat, que vai ser lançado no final de junho na Índia, e que tem como ambição ser o primeiro capaz de se remover do espaço de forma eficaz e precisa.

Quando os russos lançaram o Sputnik 1, "o espaço era tão grande" que a remoção do satélite não era uma preocupação. Hoje, com a órbita repleta de satélites, "é uma preocupação", face às colisões provocadas pela sobrelotação e falta de espaço para se lançarem mais corpos artificiais para as órbitas terrestres, contou à agência Lusa Carina Amaro, da equipa da D-Orbit Portugal.

O D-Sat procura responder a esse mesmo problema, sendo um satélite com tecnologia de remoção do corpo novamente para a Terra com uma trajetória específica, ao invés do que acontece neste momento, em que os satélites ficam dezenas de anos em órbita já depois de terminada a sua operação e que acabam por entrar na atmosfera de forma descontrolada, com a possibilidade de caírem em zonas povoadas da Terra, elucidou.

A D-Orbit Portugal, subsidiária da italiana D-Orbit, desenvolveu todo o software necessário para a missão do D-Sat, um pequeno satélite de 30 centímetros por 10 centímetros, que vai funcionar como um demonstrador da capacidade da tecnologia, explicou Carina Amaro.

"É o primeiro lançamento da história, em que o satélite é lançado com o objetivo de ser removido", sublinhou, referindo que, a determinado ponto, vai ser enviado um comando ao D-Sat, que "vai girar sobre ele próprio e entrar na atmosfera numa trajetória" escolhida pela equipa.

O lixo espacial "é um grande problema".

"Estamos a enviar cada vez mais equipamento lá para cima e já aconteceu algum equipamento colidir", sintetizou.

Com a tecnologia da D-Orbit, já não se terá "de esperar décadas para que o satélite caia", para além de garantir uma descida com uma trajetória definida e não aleatória como atualmente acontece.

A tecnologia está patenteada e, depois da demonstração que vai ser realizada com o D-Sat, espera-se que os futuros satélites que sejam lançados possam ter o dispositivo desenvolvido pela empresa.

O dispositivo "é modular e escalável", podendo ser aplicado quer num satélite de 50 quilos ou num de cinco toneladas, acrescentou.

 

A D-Orbit Portugal está sediada em Cascais e integrada na Incubadora da Agência Espacial Europeia em Portugal (ESA BIC), coordenada pelo Instituto Pedro Nunes (IPN).


Etiquetas
Partilhar

OPINIÃO
Significado das próximas eleições para a Assembleia da República
Paulo Pisco
Deputado do PS
Incêndios rurais: prevenir é mesmo o melhor remédio
Miguel Freitas
Sec. de Estado das Florestas
Por um regresso seguro a casa
José Artur Neves
Sec. de Estado da Proteção Civil
DISCURSO DIRETO
Monumentos ao emigrante em Portugal
Daniel Bastos, Historiador
PORTUGAL
Defesa de nova visão sobre as comunidades portuguesas
José Luís Carneiro
PORTUGAL
Um eterno e constante devir....
José Caria, diretor-adjunto da PORT.COM
PORTUGAL
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ