ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

imagem
Revista PORT.COM • 19-Nov-2016
“Fenómeno raro” na Ilha de Santa Maria faz com que se esteja a erguer do mar



Esta semana foi publicado na revista norte americana “Eos”, dedicada às ciências da terra, um artigo Santa Maria, dando conta de que a ilha inverteu o movimento de descida e começou a soerguer-se dos fundos oceânicos que a rodeiam.

A ilha de Santa Maria, a mais antiga dos Açores, é a única no arquipélago que está a subir relativamente ao fundo do mar, um “fenómeno raro em ilhas oceânicas”, concluiu uma investigação liderada pela Universidade dos Açores.

“O que os nossos dados indicam é que Santa Maria subiu nos últimos 3,5 milhões de anos uma média de 60 metros por cada milhão de anos, o que dá seis metros em 100 mil anos, 60 centímetros em dez mil anos e seis centímetros por cada mil anos”, afirmou, em declarações à agência Lusa, o investigador da academia açoriana Sérgio Ávila.

O biólogo marinho e especialista em moluscos marinhos, docente no departamento de Biologia da Universidade dos Açores, lidera há vários anos uma equipa de investigação multidisciplinar que se dedica ao estudo da evolução geológica da ilha de Santa Maria, com 6,1 milhões de anos.

Para o investigador, a “única explicação razoável” para este “fenómeno raro em ilhas oceânicas” tem a ver com o facto de a “lava que vem das profundidades da crosta oceânica a uma determinada altura não conseguir chegar à superfície, e essas acumulações de magma criam uma espécie de calço debaixo da ilha, fazendo-a levantar”.

“Santa Maria é um caso muito curioso, que é raro em ilhas oceânicas. Está documentado em outras ilhas, como por exemplo em Cabo Verde, mas no caso dos Açores Santa Maria é a única ilha que tem essa história geológica particular”, adiantou o investigador, revelando que a sua equipa tem publicado uma média de dez artigos científicos por ano.

Sérgio Ávila destacou que Santa Maria é um “caso muito particular”, porque “já foi ilha duas vezes”, sendo que a primeira desapareceu devido à ação de erosão marinha, dando origem a um monte submarino de grandes dimensões.

“Durante cerca de um milhão de anos a ilha foi totalmente arrasada e desapareceu. Só reapareceu a segunda ilha por reativação da atividade vulcânica”, explicou Sérgio Ávila, acrescentando que a primeira ilha de Santa Maria “afundou-se a uma taxa média de cerca de 100 metros por cada milhão de anos”.


Etiquetas
Partilhar

OPINIÃO
Investimentos Brasil-Portugal
Fernando Pinho
Economista, palestrante e consultor financeiro
Alargamento da Ação Cultural Externa às Comunidades Portuguesas
José Cesário
Deputado do PSD
O II Encontro de Investidores da Diáspora
Daniel Bastos
Historiador
DISCURSO DIRETO
'Encontros são uma homenagem aos empresários da diáspora'
José Luís Carneiro
PORTUGAL
'O Estado abandonou o país rural'
Nádia Piazza
PORTUGAL
José Redondo e a paixão pelo râguebi
José Redondo
PORTUGAL
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ