ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

imagem
Revista PORT.COM • 13-Jan-2017
Antigo refugiado chega a ministro no Canadá



Ahmed Hussen é o nome do novo ministro da Imigração, Refugiados e Cidadania do Canadá. De origem somali, chegou ao país em 1993, aos 16 anos, como refugiado.

O novo Ministro da Imigração, Refugiados e Cidadania do Canadá é um antigo refugiado somali que chegou ao país há 20 anos, fugido da guerra civil. O novo elenco de ministros de Justin Trudeau, anunciado na terça-feira e composto de forma paritária (com seis homens e seis mulheres), conta também com um tenente-coronel Sikh e com uma ministra dos Negócios Estrangeiros de origem ucraniana.

Ahmed Hussen é o nome do novo ministro. De origem somali, chegou ao país em 1993, aos 16 anos, como refugiado. Vai substituir John McCallum, que assumirá funções enquanto embaixador do Canadá na China.

Hoje, com 41, Hussen é advogado e ativista político, dedicando-se a assuntos relacionados com as leis de imigração e refugiados. Enquanto ativista, foi uma peça indispensável para a aprovação de um plano de reativação urbana, com vista à criação de habitações dignas para a comunidade de um bairro social de maioria negra em Toronto, Regent Park, onde viveu. Já integrou o Comité para a Justiça e Direitos Humanos canadiano e a Associação Parlamentar Canadá-África.

Foi o primeiro refugiado (e também o primeiro somali) a ser eleito para o Parlamento canadiano, em 2015, pelo Partido Liberal Democrata, no distrito de York-South Weston. Agora comprometeu-se a oferecer a sua “experiência como imigrante”, mas também como advogado em matéria de migração enquanto “alguém que trabalhou durante muitos anos como ativista e defensor da comunidade”, disse, citado pelo canal CBC.

À imprensa, Hussen disse que a sua trajetória de vida muda a maneira como vai enfrentar esta nova etapa. “Estou muito orgulhoso da História do nosso país enquanto um lugar de asilo, um lugar que abre as suas portas e corações a novos imigrantes e refugiados, e estou especialmente orgulhoso por me tornar o ministro dessa pasta”, disse, segundo o Toronto Star.

O diretor executivo da Associação de Ajuda ao Imigrante Somali de Toronto, Mahad Yusef, celebrou a decisão de Trudeau. “É uma boa notícia para a nossa comunidade”, afirmou Yusef. “Era algo que que precisávamos mesmo, não só a comunidade somali, mas toda a comunidade negra”, afirma, salientando, também, a importância da representação somali no Governo.

De acordo com Toronto Star, o Canadá acolheu um total de 300 000 imigrantes em 2016 e prevê-se que o número seja semelhante em 2017. Durante a chefia do seu John McCallum, o país aceitou também 40.000 refugiados sírios.

Anunciado na terça-feira em Otava por Justin Trudeau, o novo elenco de ministros é um exemplo de multiculturalidade e diversidade. A pasta da defesa fica nas mãos do tenente-coronel Harijt Sajjan, que será também o primeiro Sihk a tornar-se ministro da Defesa. O Ministério dos Negócios estrangeiros ficará nas mãos de Chrystia Freeland, de origem ucraniana e crítica acérrima da Rússia de Putin.


Etiquetas
Partilhar

OPINIÃO
Investimentos Brasil-Portugal
Fernando Pinho
Economista, palestrante e consultor financeiro
Alargamento da Ação Cultural Externa às Comunidades Portuguesas
José Cesário
Deputado do PSD
O II Encontro de Investidores da Diáspora
Daniel Bastos
Historiador
DISCURSO DIRETO
'Encontros são uma homenagem aos empresários da diáspora'
José Luís Carneiro
PORTUGAL
'O Estado abandonou o país rural'
Nádia Piazza
PORTUGAL
José Redondo e a paixão pelo râguebi
José Redondo
PORTUGAL
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ