ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

O conteúdo desta página só pode ser visualizado na vertical!


imagem
Revista PORT.COM • 16-Mar-2017
Acordo com funcionários consulares no Brasil depende da proposta



O Governo manifestou disponibilidade para encontrar uma solução para o conflito salarial dos funcionários consulares no Brasil, desde que a proposta seja orçamentalmente comportável e acabe a litigância judicial.

O secretário de Estado das Comunidades, José Luís Carneiro, disse que o Governo se compromete a manter a abertura para o diálogo, tendo em vista encontrar uma solução num quadro temporal que vá daqui até ao fim mês de junho, mas com dois pressupostos.

Segundo Carneiro, o primeiro pressuposto "é de que a proposta final seja orçamentalmente comportável e, o segundo, que haja garantia jurídica que permita colocar um ponto final na constante litigância dos trabalhadores no Brasil em relação ao Estado português".

O Sindicato dos Trabalhadores Consulares e das Missões Diplomáticas (STCDE) anunciou na terça-feira que a greve que estava prevista até hoje foi suspensa "por ter sido assumido pelo Governo o compromisso de solucionar" os problemas na origem da paralisação.

Segundo o sindicato, o motivo da greve é um conflito salarial que existe entre os trabalhadores e o Governo português desde 2013 e que afeta 80 funcionários, tendo resultado em cerca de 60 processos judiciais.

Estes processos "podem representar encargos com indemnizações aos trabalhadores dos postos diplomáticos e consulares portugueses no Brasil na ordem de nove milhões de euros", disse na segunda-feira a presidente do sindicato, Rosa Ribeiro, à Lusa.

O conflito já existe desde 2013 com "a decisão unilateral do Ministério dos Negócios Estrangeiros de aplicar a estes trabalhadores uma tabela salarial em reais", acrescentou então a mesma fonte.

Para o sindicato, a greve mostrou a "determinação dos trabalhadores em serem tratados como os restantes trabalhadores do MNE no estrangeiro, esperando-se que a normalização das suas relações de trabalho e reposição da sua tabela salarial de 2013 sejam fatores decisivos para a continuidade de uma normal prestação de serviço público".

"Desde a primeira hora que mostrámos total abertura e disponibilidade para trabalhar numa solução", afirmou José Luís Carneiro.

"Nós comprometemo-nos na abertura a um diálogo, pendente em encontrar uma solução. Isso porque encontrar uma solução para uma matéria tão complexa exige não apenas a verificação de questões de direito nacional e internacional, nomeadamente o direito laboral brasileiro", acrescentou.

Segundo o secretário de Estado das Comunidades, durante as conversações realizadas entre as partes, "o sindicato disse que havia uma solução com várias dimensões para esta matéria" e ficou de apresentar uma proposta na altura e o Governo deu sinal positivo para a discutir, mas entretanto foi convocada a greve.

José Luís Carneiro disse que está marcada uma próxima reunião entre as partes no dia 21 de março.


Etiquetas
Partilhar

OPINIÃO
Por um Ministério das Comunidades Portuguesas
Daniel Bastos
Historiador
Pela valorização do ensino da história da emigração portuguesa
Paulo Prisco
Deputado do PS eleito pelas comunidades
A Lei da Nacionalidade
José Cesário
Deputado do PSD eleito pelo círculo da emigração
DISCURSO DIRETO
Bélgica, país de contrastes onde adoram portugueses
Catarina Moleiro
BÉLGICA
O mundo é pequeno, a China não
Miguel Madeira
CHINA
Num ano em França, tudo mudou!
Rita Sarmento
FRANÇA
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ