ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

Autoridades estão a fazer os possíveis para ajudar os portugueses
Revista PORT.COM • 06-Mai-2017
Autoridades estão a fazer os possíveis para ajudar os portugueses



O CDS-PP reiterou preocupação pela situação social e política na Venezuela, declarando que pretende conhecer do Governo detalhes sobre o plano de contingência para a comunidade portuguesa no país.

O Presidente da República disse que se percebe que as autoridades de Portugal estão a fazer o que podem e o que não podem para ajudar os portugueses na Venezuela, mas para serem eficazes não o podem "apregoar".

"Uma coisa é fazer isso, outra coisa é andar a anunciar nos jornais o que se faz e, para se ser eficaz, não se pode anunciar o que se faz", afirmou o chefe de Estado, Marcelo Rebelo de Sousa, à margem de uma visita à Feira Nacional de Olivicultura, em Valpaços, no distrito de Vila Real.

O Presidente da República lembrou que estão em causa vidas de muitos portugueses, portanto, tem de haver muito cuidado sobre o que se diz da situação daquele país.

"Há duas maneiras de fazer política, uma é apregoar que se vai fazer qualquer coisa e depois acaba-se por não fazer, outra coisa é tentar fazer o que é possível sem andar nos jornais a colocar parangonas sobre o que se está a fazer", frisou.

Os portugueses que estão lá estão em contacto com a realidade social, económica e politica venezuelana, acrescentou, sublinhando que estão em pequenas e médias lojas e comércio de rua, daí a necessidade de cuidados redobrados.

"Deve-se agir criando formas de apoio e de acompanhamento, mas isso é uma coisa, outra coisa é estar a converter isso em aproveitamento político público ou estar a falar demais dificultando uma tarefa que já é difícil", insistiu.

Pelo menos 35 pessoas morreram e 717 ficaram feridas nos protestos que estão a decorrer, desde abril, na Venezuela, informou o Ministério Público venezuelano.

As autoridades detiveram "152 pessoas", na sequência das manifestações contra o Governo da Venezuela, acrescentou em comunicado, precisando que os registos foram atualizados até quinta-feira.

O Ministério Público venezuelano indicou que entre as vítimas mortais contam-se quatro adolescentes, um funcionário da Guarda Nacional Bolivariana (polícia militar) e outro da polícia do Estado de Carabobo.

Os feridos "ascendem a 717 pessoas, das quais 357 foram reportadas por factos relacionados com delitos comuns, 329 por direitos fundamentais e 31 por proteção integral à família", referiu a mesma fonte.


Etiquetas
Partilhar

OPINIÃO
Aqui, Brasil
Francisco Serra
Cônsul honorário de Portugal em Pelotas, Brasil
Condições mais favoráveis ao exercício do direito de voto
José Vítor Soreto de Barros
Presidente da Comissão Nacional de Eleições
Brasília, El Dorado Luso
Jack Soifer
Consultor Internacional
DISCURSO DIRETO
Um zacatrás por Portugal
José Caria, diretor-adjunto da PORT.COM
PORTUGAL
Há condições para viver em Arcos de Valdevez
João Esteves, presidente da CM de Arcos de Valdevez
PORTUGAL
A comunidade portuguesa e a Venezuela
Paulo Pisco
PORTUGAL
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ