ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

Emigrante junta 20 pessoas em Londres em homenagem às vítimas de Pedrógão
Revista PORT.COM • 02-Jul-2017
Emigrante junta 20 pessoas em Londres em homenagem às vítimas de Pedrógão



Um gesto espontâneo de uma emigrante portuguesa em Londres levou cerca de duas dezenas de pessoas a uma vigília em Londres em homenagem às vítimas do incêndio em Pedrógão Grande.

Lídia Harding está radicada há várias décadas no Reino Unido e tem pouco contacto com a comunidade portuguesa, mas não escapou à angústia causada pelos incêndios em Portugal, que causaram 64 mortos.

"Foi a ler as notícias e também a ver uma fotografia dos bombeiros que, depois de três dias de batalhar com o incêndio, estavam a dar água a um cão. Essa fotografia emocionou-me muito", contou à agência Lusa.

Contactou algumas pessoas que descobriu através da Internet e redes sociais e organizou uma vigília numa igreja dos Irmãos Scalabrianos, usada regularmente pela comunidade portuguesa.

O evento foi organizado com pouca antecedência, mas mesmo assim mobilizou várias pessoas, entre as quais Rosa Fernandes, que confessou ter ficado emocionada com o sucedido.

"Vivi oito anos em Portugal e nunca tinha visto nada igual. Fiquei muito triste a ver as pessoas chorar e isso toca. vim aqui prestar homenagem àqueles que morreram e dar força para a família. Qualquer coisa, estamos aqui para ajudar", justificou.

Natural de Cabo Verde, apresentou-se acompanhada pelo filho, que se ia entretendo a brincar com velas colocadas à entrada da igreja, onde estava também um livro de condolências.

"Como dizem, de pequenino se torce o pepino. Para ele aprender que devemos estar preocupados com os outros", explicou.

Outra participante, Maria do Carmo Colimão, contou que só chegou há uma semana à capital britânica, pelo que ainda acompanhou os incêndios quando estava em Portugal.

No entanto, não quis deixar de "manifestar solidariedade com o que aconteceu. Foi algo inédito", admitiu.

O incêndio que deflagrou em 17 de junho, em Pedrógão Grande, no distrito de Leiria, provocou pelo menos 64 mortos e mais de 200 feridos, e só foi dado como extinto uma semana depois.


Etiquetas
Partilhar

OPINIÃO
Portugal hoje, um país que incentiva ao regresso
Paulo Pisco
Deputado do PS eleito pelos portugueses na Europa
De olhos postos em África com uma estratégia de futuro
Peter Dawson
Presidente do grupo Garland
Não há tempo para se perder tempo!
Vítor Ramalho
Secretário-Geral da UCCLA
DISCURSO DIRETO
O português que ajudou a 'erguer' as memórias do World Trade Center
Luís Mendes, arquiteto
ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA
«Mobilidade no espaço da lusofonia é um dos maiores desafios»
Teresa Ribeiro, SENEC
PORTUGAL
The last man on the moon
José Caria, diretor-adjunto da PORT.COM
PORTUGAL
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ