ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

Portugueses seguem com ‘preocupação’ e ‘desânimo’ situação na Venezuela
Revista PORT.COM • 01-Ago-2017
Portugueses seguem com ‘preocupação’ e ‘desânimo’ situação na Venezuela



Conselheiros da comunidade portuguesa na Venezuela afirmam que os emigrantes estão a acompanhar com "muita preocupação" e "desânimo" a situação política no país, no dia seguinte à eleição para a Assembleia Constituinte, que dizem ter sido "uma fraude".

"Há muita preocupação na nossa comunidade. Uns estão tristes, outros estão desanimados, mas a comunidade ainda está a lutar, com esperança, embora pouca, de que o sol ainda vai voltar a brilhar", descreveu a conselheira da comunidade portuguesa em Caracas, Maria de Lurdes Almeida.

Mas, por agora, "o panorama é muito escuro".

No mesmo sentido, Maria de Fátima Loreto, conselheira da comunidade em Valência, disse que "há uma grande deceção e tristeza, porque isto não tem fim".

"Não há garantias de nada, de propriedade, de economia, de vida. O que se está a passar é uma guerra", afirmou a lusodescendente, cujos pais, madeirenses, emigraram para a Venezuela na década de 50 do século passado.

Também o conselheiro em Caracas, Fernando Campos, comentou que "as pessoas que não estavam preparadas, estão desanimadas", mas, lamentou, "já se sabia que isto se ia passar".

Os conselheiros portugueses contestam a adesão à votação anunciada pelo Conselho Nacional Eleitoral, que estimou uma participação de mais de oito milhões de eleitores. A oposição afirmou, a escassas horas do fecho previsto das urnas, que a participação era de 12%.

"É totalmente falso. Houve muito pouca participação", defendeu 'Milu' (como é conhecida) Almeida, que vive há 52 anos na capital venezuelana.

"Foi a mesma fraude de sempre deste Governo tão dececionante", sustentou Fátima Loreto, que sempre trabalhou na área do associativismo junto dos portugueses e luso-venezuelanos, relatando que os centros eleitorais de Valência e Mérida estiveram vazios, no domingo.

Num comunicado divulgado pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros, o executivo português "lamenta profundamente a evolução dos acontecimentos na Venezuela".

O Governo reitera que "a gravidade da crise económica e social que atinge o povo venezuelano só poderá ser debelada mediante um compromisso político inclusivo que envolva o regresso à normalidade constitucional e no quadro de um calendário eleitoral mutuamente acordado entre as partes, bem como no pleno respeito pelos direitos humanos, pela separação de poderes, pelo livre exercício dos direitos civis e políticos e, em geral, pelos princípios do estado de direito".

 

Marcelo considera de ‘exemplar’ postura dos portugueses na Venezuela

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, disse que os portugueses na Venezuela têm sido exemplares na sua conduta cívica, mesmo quando o ambiente os podia afastar dessa serenidade.

"Os portugueses na Venezuela têm sido exemplares na sua conduta cívica, na sua vida serena, mesmo quando o ambiente os podia afastar dessa serenidade", declarou.

O chefe de Estado falava em Idanha-a-Nova, no Monte Trigo, durante uma visita que fez ao 23.º acampamento nacional de escuteiros (ACANAC), onde foi recebido em euforia pelos milhares de jovens que ali estão.

Marcelo Rebelo de Sousa explicou aos jornalistas que o Governo definiu uma posição em relação á Venezuela que é também a posição da União Europeia (UE), "que está muito preocupada, nomeadamente, com os acontecimentos de domingo, apresentando os pêsames aos familiares das vítimas".

Recordou que o Governo emitiu um comunicado, onde demonstra a sua preocupação e que conclui, "dizendo que o passo dado ontem acabou por não facilitar o caminho que tem de ser de concórdia, um caminho de acordo, de entendimento e com um calendário eleitoral claro".

O Presidente deixou uma mensagem que tem sido também a do governo português, "que é de acompanhamento, solidariedade, apoio e compreensão".


Etiquetas
Partilhar

OPINIÃO
A sua atitude de confiança conta: não só com o vírus...
Susana Cor de Rosa
Consultora empresarial
Os efeitos do medo do coronavírus...
Daniel Bastos
Historiador
Novo Coronavírus provoca epidemia com desfecho imprevisível
Alfredo Martins
Internista e Coordenador do NEDResp
DISCURSO DIRETO
A Fundação ISS e o apoio na África Lusófona
Eulalia Devesa, Diretora da Fundação ISS Mais Um Sorriso
PORTUGAL
«Cada vez faz menos sentido falar de emigração»
José Cesário, Deputado do PSD
PORTUGAL
O Projeto de Mobilidade na CPLP
Augusto Santos Silva, Ministro dos Negócios estrangeiros
PORTUGAL
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ