ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

Escola Portuguesa em Macau sofre ‘maiores danos de sempre’
Revista PORT.COM • 24-Ago-2017
Escola Portuguesa em Macau sofre ‘maiores danos de sempre’



O tufão Hato provocou cinco mortos e 153 feridos à passagem por Macau, além de inundações e o corte de energia na cidade.

O tufão Hato provocou ontem os ‘maiores danos de sempre’ na Escola Portuguesa de Macau, com a queda de dois muros exteriores - incluindo um mural do Vhils - além de árvores, e janelas e portas partidas, disse a vice-presidente.

"Sem sombra de dúvida foram os maiores danos de sempre", disse Zélia Baptista.

Uma das ruas junto à escola - onde o artista português Vhils tinha em junho esculpido um mural - continuava, ao início da noite (tarde em Lisboa), cortada ao trânsito, com árvores arrancadas a atravessar a estrada, e um candeeiro de rua tombado junto a uma paragem de autocarro estilhaçada, testemunha da força dos ventos que assolaram o centro da cidade.

Zélia Baptista explicou que a ala nova da escola foi "bastante afetada por placas que voaram do Grand Lisboa", situado a poucos metros.

O tufão Hato partiu também um painel em vidro na zona da cantina, e causou danos num carro da direção e nos ares condicionados instalados nos telhados da escola.

Zélia Baptista disse que já foi feito um levantamento dos estragos, mas que "ainda é cedo para avaliar os prejuízos".

" [Quinta-feira] é preciso conversar com os elementos do conselho de administração, planificar as intervenções a realizar, e assim dar-se o máximo para se conseguir começar as aulas no dia 06 conforme previsto", afirmou a vice-presidente.

"Fiquei muito frustrada. Senti uma mágoa muito grande quando cheguei à escola. Parecia um cenário de destruição total e já tínhamos praticamente tudo pronto para o início das aulas", afirmou, indicando que já tinham sido realizadas limpezas, pinturas e algumas intervenções no interior e exterior.

A prioridade, explicou, "é limpar a sujidade e lamas e remover o lixo. Depois é pedir orçamentos e começar as obras, o mais rapidamente possível".

"Agora voltámos quase à estaca zero", disse, afirmando que os trabalhos deverão começar "pelas salas de aula, recreios e cantina".

Atualmente com mais de 550 alunos entre o 1.º e 12.º ano, a Escola Portuguesa de Macau celebra, no próximo ano letivo, o vigésimo aniversário.


Etiquetas
Partilhar

OPINIÃO
Portugal hoje, um país que incentiva ao regresso
Paulo Pisco
Deputado do PS eleito pelos portugueses na Europa
De olhos postos em África com uma estratégia de futuro
Peter Dawson
Presidente do grupo Garland
Não há tempo para se perder tempo!
Vítor Ramalho
Secretário-Geral da UCCLA
DISCURSO DIRETO
O português que ajudou a 'erguer' as memórias do World Trade Center
Luís Mendes, arquiteto
ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA
«Mobilidade no espaço da lusofonia é um dos maiores desafios»
Teresa Ribeiro, SENEC
PORTUGAL
The last man on the moon
José Caria, diretor-adjunto da PORT.COM
PORTUGAL
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ