ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

De Paris a Seia, mais de 1500 quilómetros de solidariedade
Revista PORT.COM • 27-Out-2017
De Paris a Seia, mais de 1500 quilómetros de solidariedade



Um casal de lusodescendentes conduziu, ao longo de 1570 quilómetros, uma carrinha carregada de roupa, mantas, calçado e brinquedos para entregar às vítimas dos incêndios no concelho de Seia.

Georges Ferreira e Mélanie Alves, que moram na cidade de Chambly, a cerca de 60 quilómetros a norte de Paris, tiraram uma semana de "férias forçadas" para irem ajudar a sua terra a bordo de uma carrinha com um cartaz em que se lê "Solidarité Incendie - France Portugal - Solidariedade Incêndio".

"Nós, emigrantes lá fora, estamos sempre perto do nosso povo aqui em Portugal. Ouvimos falar dos incêndios na minha terra. Começámos a falar há uma semana com uns amigos, pusemos um anúncio no Facebook, as pessoas começaram a doar muita roupa, calçado. Na quinta-feira andámos na recolha e viemos na sexta para baixo", explicou Georges Ferreira à Lusa.

A viagem, e a entrega dos bens, tem sido fotografada e as imagens publicadas na conta Facebook "Solidarité Incendie (Portugal)".

O casal partiu na sexta-feira de França, no sábado chegou à Igreja Evangélica de Seia com "a carrinha de cinco metros cúbicos" carregada de bens e foi distribuir diretamente às pessoas, tendo também comprado alimentos com dinheiro que conseguiram angariar em França.

Na segunda-feira, os franco-portugueses foram a Riba de Ave, terra da família de Mélanie, e Oliveira São Mateus para "recolher mais bens como produtos higiénicos, eletrodomésticos" que vão entregar esta sexta-feira de manhã em Seia.

O lusodescendente, de 39 anos, acrescentou que "em França já há outra carrinha cheia e pessoas de Tours que também querem levar uma carrinha" carregada de bens, estando a prever fazer uma nova viagem antes do final do ano.

Georges Ferreira indicou, também, que o próximo objetivo é "angariar fundos para comprar uma carrinha para andar no combate aos incêndios".

"Na minha terra, Lajes, não temos uma carrinha para andar nos incêndios. Precisamos de uma pick-up para pôr um tanque de água atrás para termos lá na Junta para começarem a apagar os fogos enquanto os bombeiros não vêm porque, coitados, os bombeiros estiveram lá para trás e para a frente e não conseguiram vir à nossa terra", afirmou.


Etiquetas
Partilhar

OPINIÃO
Aqui, Brasil
Francisco Serra
Cônsul honorário de Portugal em Pelotas, Brasil
Condições mais favoráveis ao exercício do direito de voto
José Vítor Soreto de Barros
Presidente da Comissão Nacional de Eleições
Brasília, El Dorado Luso
Jack Soifer
Consultor Internacional
DISCURSO DIRETO
Um zacatrás por Portugal
José Caria, diretor-adjunto da PORT.COM
PORTUGAL
Há condições para viver em Arcos de Valdevez
João Esteves, presidente da CM de Arcos de Valdevez
PORTUGAL
A comunidade portuguesa e a Venezuela
Paulo Pisco
PORTUGAL
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ