ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

Nenhum emigrante será convidado a sair do Reino Unido
Revista PORT.COM • 20-Nov-2017
Nenhum emigrante será convidado a sair do Reino Unido



Diplomata britânica salientou a importância da comunidade portuguesa na economia do país.

O conselheiro da embaixada britânica em Lisboa garantiu que nenhum emigrante será convidado a sair do Reino Unido e todo o processo pós-'Brexit' será desburocratizado para acelerar a manutenção dos cidadãos europeus no país. 

"Estamos muito próximos de um acordo e queremos que os cidadãos comunitários fiquem no Reino Unido. O acordo vai garantir todos os direitos dos trabalhadores, pelo que nenhum emigrante será convidado a sair. Estamos a desburocratizar o processo", sublinhou Abbott. 

O diplomata britânico detalhou que as autoridades londrinas, após a saída formal do Reino Unido da UE, vão estender por dois anos a elaboração dos processos, salientando a importância da comunidade portuguesa na economia do país. 

"O Governo britânico está a tratar a questão dos direitos dos cidadãos como uma das principais prioridades nas negociações em curso com UE e estamos muito perto de chegar a um acordo. Queremos proteger o mais possível os direitos das comunidades migrantes no Reino Unido", salientou Abbott, já em declarações aos jornalistas. 

O diplomata britânico destacou também que o Governo de Londres já anunciou que vai desburocratizar o processo de obtenção de visto de residência e de trabalho para os cidadãos da comunidade e, em particular, para os portugueses. 

Sobre o otimismo da "mensagem" de Abbott, e em declarações aos jornalistas, o secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, José Luís Carneiro, presente na sessão, considerou-o "positivo", embora tenha salientado que uma coisa são as palavras outras os atos. 

"É necessário ter um conhecimento concreto, objetivo e formal dessas condições, o que ainda não temos. É necessário conhecê-las, mas a mensagem é positiva" por três ordens de razões, considerou José Luís Carneiro. 

"Reconhece a importância das diferentes comunidades migrantes que residem e trabalham no Reino Unido, que essas condições põem em pé de igualdade os trabalhadores altamente qualificados e os restantes trabalhadores dos diferentes setores da atividade económica - restauração, agricultura e indústria", disse. 

"Em terceiro lugar, reconhece que o Governo britânico está a estudar um conjunto de medidas tendo em vista salvaguardar os direitos fundamentais dos trabalhadores e as boas condições de entrada, de residência e de trabalho no Reino Unido", sublinhou. 

Segundo os dados oficiais citados por José Luís Carneiro, estão inscritos nos serviços consulares portugueses no Reino Unidos e nos serviços de segurança social britânicos cerca de 232 mil cidadãos, estimando-se, porém, que haja uma percentagem "elevada" de não inscritos.


Etiquetas
Partilhar

OPINIÃO
Joe Silvey, um pioneiro da sociedade multicultural no Canadá
Daniel Bastos
Historiador
Sejam muito bem-vindos. Os Açores contam consigo!
Vítor Fraga
CEO da SDEA
As comunidades e a limpeza das matas
Paulo Pisco
Deputado do PS
DISCURSO DIRETO
Angola aqui e agora
José Caria, diretor-adjunto da PORT.COM
PORTUGAL
«A lusofonia é o instrumento privilegiado de afirmação dos povos»
Vitor Ramalho
PORTUGAL
«Apostou-se muito no combate e pouco na prevenção»
Miguel Freitas
PORTUGAL
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ