ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

Nenhum emigrante será convidado a sair do Reino Unido
Revista PORT.COM • 20-Nov-2017
Nenhum emigrante será convidado a sair do Reino Unido



Diplomata britânica salientou a importância da comunidade portuguesa na economia do país.

O conselheiro da embaixada britânica em Lisboa garantiu que nenhum emigrante será convidado a sair do Reino Unido e todo o processo pós-'Brexit' será desburocratizado para acelerar a manutenção dos cidadãos europeus no país. 

"Estamos muito próximos de um acordo e queremos que os cidadãos comunitários fiquem no Reino Unido. O acordo vai garantir todos os direitos dos trabalhadores, pelo que nenhum emigrante será convidado a sair. Estamos a desburocratizar o processo", sublinhou Abbott. 

O diplomata britânico detalhou que as autoridades londrinas, após a saída formal do Reino Unido da UE, vão estender por dois anos a elaboração dos processos, salientando a importância da comunidade portuguesa na economia do país. 

"O Governo britânico está a tratar a questão dos direitos dos cidadãos como uma das principais prioridades nas negociações em curso com UE e estamos muito perto de chegar a um acordo. Queremos proteger o mais possível os direitos das comunidades migrantes no Reino Unido", salientou Abbott, já em declarações aos jornalistas. 

O diplomata britânico destacou também que o Governo de Londres já anunciou que vai desburocratizar o processo de obtenção de visto de residência e de trabalho para os cidadãos da comunidade e, em particular, para os portugueses. 

Sobre o otimismo da "mensagem" de Abbott, e em declarações aos jornalistas, o secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, José Luís Carneiro, presente na sessão, considerou-o "positivo", embora tenha salientado que uma coisa são as palavras outras os atos. 

"É necessário ter um conhecimento concreto, objetivo e formal dessas condições, o que ainda não temos. É necessário conhecê-las, mas a mensagem é positiva" por três ordens de razões, considerou José Luís Carneiro. 

"Reconhece a importância das diferentes comunidades migrantes que residem e trabalham no Reino Unido, que essas condições põem em pé de igualdade os trabalhadores altamente qualificados e os restantes trabalhadores dos diferentes setores da atividade económica - restauração, agricultura e indústria", disse. 

"Em terceiro lugar, reconhece que o Governo britânico está a estudar um conjunto de medidas tendo em vista salvaguardar os direitos fundamentais dos trabalhadores e as boas condições de entrada, de residência e de trabalho no Reino Unido", sublinhou. 

Segundo os dados oficiais citados por José Luís Carneiro, estão inscritos nos serviços consulares portugueses no Reino Unidos e nos serviços de segurança social britânicos cerca de 232 mil cidadãos, estimando-se, porém, que haja uma percentagem "elevada" de não inscritos.


Etiquetas
Partilhar

OPINIÃO
Portugal hoje, um país que incentiva ao regresso
Paulo Pisco
Deputado do PS eleito pelos portugueses na Europa
De olhos postos em África com uma estratégia de futuro
Peter Dawson
Presidente do grupo Garland
Não há tempo para se perder tempo!
Vítor Ramalho
Secretário-Geral da UCCLA
DISCURSO DIRETO
O português que ajudou a 'erguer' as memórias do World Trade Center
Luís Mendes, arquiteto
ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA
«Mobilidade no espaço da lusofonia é um dos maiores desafios»
Teresa Ribeiro, SENEC
PORTUGAL
The last man on the moon
José Caria, diretor-adjunto da PORT.COM
PORTUGAL
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ