ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

Luso-canadiana quer ser a primeira portuguesa a subir aos Sete Cumes do Mundo
Revista PORT.COM • 07-Fev-2018
Luso-canadiana quer ser a primeira portuguesa a subir aos Sete Cumes do Mundo



A iniciativa tem como objetivo angariar fundos para a criação de um novo centro de apoio à saúde mental.

No âmbito de uma causa solidária, Ema Dantas, emigrante portuguesa no Canadá, já escalou dois montes e faltam cinco para cumprir os Setes Cumes do Mundo, um desafio que poucos já completaram.

Financiada através do sector privado nas várias expedições, a empresária e tradutora espera angariar no final desta verdadeira aventura 700 mil dólares canadianos (457 mil euros), que serão canalizados para um novo centro da CAMH (acrónimo em inglês de Centre for Addiction and Mental Healt), a ser inaugurado em 2020.

“Não é um desporto muito habitual para mulheres, pelo menos muitas mulheres não têm subido os cumes. Achei que seria um desafio para ajudar a CAMH, pois está na altura de tratar a saúde mental como uma outra doença, como o cancro”, afirmou Ema Dantas, 50 anos, à agência Lusa.

Filha de emigrantes de Miranda do Douro, distrito de Bragança, Ema Dantas foi para o Canadá, com apenas cinco anos, sendo inspirada pela sua mãe já falecida em 2013 aos 66 anos, afetada por problemas mentais.

“Em 2020 pretendemos concluir a expedição, altura em que CAMH tenciona abrir uma nova clínica e os nossos fundos angariados serão disponibilizados para aqueles serviços”, explicou.

Com duas metas já alcançadas, em outubro de 2017, a Pirâmide Carstensz (Papua Nova Guiné, Indonésia), e em janeiro de 2018, o Kilimanjaro (Tanzânia), até final do ano, a luso-canadiana pretende subir o Monte Elbrus na Rússia (final de junho) e o Monte Vinson, na Antártica (final de novembro).

Ficam a faltar o Monte Evereste (Nepal), Aconcagua (Argentina), Denali (Alasca, Estados Unidos) e o Monte Kosciuszko (Austrália).

“Tenho de fazer oito cumes em vez de sete porque há duas versões dos sete cumes. A versão de Dick Bass e de Reinhold Messner. A maioria dos alpinistas para ficarem com o certificado dos sete cumes, fazem os oito, porque desta forma ninguém o pode contestar”, explicou.

 


Etiquetas
Partilhar

OPINIÃO
O Observatório dos Lusodescendentes
Daniel Bastos
Historiador
La Lys: Celebrações com sentido reparador
Paulo Pisco
Deputado do PS
Ser português fora é ter Portugal dentro
Isabelle Coelho-Marques
Presidente da NYPALC
DISCURSO DIRETO
A Oriente nada de novo?
José Caria
PORTUGAL
“Acreditem no potencial que existe nas comunidades”
Isabelle Coelho-Marques
PORTUGAL
“Não foi por acaso que Portugal foi o melhor destino do mundo em 2017”
Pedro Machado
PORTUGAL
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ