ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

Comunidade portuguesa na Austrália pede mais apoio ao ensino do português
Revista PORT.COM • 04-Mar-2018
Comunidade portuguesa na Austrália pede mais apoio ao ensino do português



As conselheiras das Comunidades Portuguesas na Austrália vão tentar obter apoios adicionais para o ensino do português durante a visita ao país do secretário de Estado das Comunidades, José Luís Carneiro.

José Luís Carneiro começa hoje, em Sydney, uma visita de mais de uma semana à Austrália e Nova Zelândia, acompanhado do presidente do Instituto Camões, Luís Faro Ramos.

"Tem havido muito trabalho em relação ao ensino e em alguns casos é um trabalho que vem de há muito anos, mas há necessidade de ampliar os apoios. Estamos longe de tudo, o país é grande e os desafios são grandes", disse à agência Lusa a conselheira das Comunidades Portuguesas na Austrália, Silvia Renda.

"É uma oportunidade para falar diretamente com o presidente do Camões sobre estes desafios. Precisamos de ter mais contactos dos alunos com material e até com escritores que, por exemplo, visitam Nova Gales do Sul, mas depois não chegam a outros locais do país", destacou.

Durante a visita vão ser assinados protocolos de cooperação com dois municípios australianos, com envolvimento de associações portuguesas na Austrália, para reforçar a integração institucional e a capacidade de intervenção em áreas como a educação, a cultura e o apoio social.

Os protocolos com Inner West Sydney e Melbourne, os dois primeiros estabelecidos pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros fora da União Europeia, destinam-se a "abrir as instituições locais ao movimento associativo, tendo em vista promover a cultura, a dinamização do apoio social ao movimento associativo", explicou José Luís Carneiro.

Durante o encontro com o secretário de Estado, as conselheiras das Comunidades esperam ainda falar de aspetos como a necessidade de ampliar iniciativas de apoio social para uma comunidade "cada vez mais envelhecida" como é a portuguesa na Austrália.

"Também aqui o maior problema é espaço. Há bons projetos, boas iniciativas, como a do Welfare Center em Sydney, mas para as conseguirmos transportar para outros Estados tem de haver mais investimento, mais ajuda", afirmou.

As grandes distâncias no país são um desafio para o trabalho do Conselho da Comunidades, com as conselheiras sem orçamento para visitar os vários Estados, incluindo à Austrália Oriental onde "a comunidade está sem apoio consular".

Silvia Renda considerou ainda que a visita à Austrália pode ser uma oportunidade para recomeçar as negociações com Camberra de um acordo reciproco de saúde.

"Neste momento não temos isso, o que significa que pessoas que viajem temporariamente para a Austrália têm de obter seguro ou arriscam-se a ficar em situações difíceis", afirmou.

"Sabemos que há acordos parecidos com outros países, o turismo para cá está a aumentar e o acordo recíproco beneficiaria os dois países", considerou.

Durante a visita serão homenageados, com a entrega da Medalha de Mérito das Comunidades, dois cidadãos portugueses radicados na Austrália, Graciete Ferreira e José Manuel de Góis e será também atribuída a Placa de Mérito das Comunidades ao Museu Etnográfico Português da Austrália.

A deslocação contemplará, por fim, a realização de uma reunião do Conselho Regional da Ásia e Oceânia do Conselho das Comunidades Portuguesas.

A eleição anual para o conselho regional das Comunidades Portuguesas na Ásia e Oceânia e a aprovação do relatório de atividades de 2017 e do plano de atividades para este ano dominam a agenda do encontro, presidido pela conselheira Rita Santos.

O Conselho das Comunidades Portuguesas tem atualmente 65 membros. O Brasil é o país que elegeu mais conselheiros, 13 no total, seguido por França, com dez conselheiros, Estados Unidos (sete), Venezuela (seis) e Alemanha, África do Sul e Suíça, com quatro conselheiros cada.

O CCP reúne-se anualmente em Lisboa e é o órgão consultivo do Governo para as políticas relativas às comunidades portuguesas, competindo-lhe, em geral, emitir pareceres, produzir informações e formular propostas e recomendações sobre as matérias que respeitem aos portugueses residentes no estrangeiro e ao desenvolvimento da presença portuguesa no mundo.


Etiquetas
Partilhar

OPINIÃO
Significado das próximas eleições para a Assembleia da República
Paulo Pisco
Deputado do PS
Incêndios rurais: prevenir é mesmo o melhor remédio
Miguel Freitas
Sec. de Estado das Florestas
Por um regresso seguro a casa
José Artur Neves
Sec. de Estado da Proteção Civil
DISCURSO DIRETO
Monumentos ao emigrante em Portugal
Daniel Bastos, Historiador
PORTUGAL
Defesa de nova visão sobre as comunidades portuguesas
José Luís Carneiro
PORTUGAL
Um eterno e constante devir....
José Caria, diretor-adjunto da PORT.COM
PORTUGAL
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ