ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

Luso-canadiana sobe o terceiro dos sete cumes do mundo em missão solidária
Revista PORT.COM • 09-Ago-2018
Luso-canadiana sobe o terceiro dos sete cumes do mundo em missão solidária



Uma luso-canadiana conseguiu com êxito escalar ao Monte Elbrus, na Rússia, conseguindo o terceiro dos sete cumes do mundo, um desafio que poucos já completaram.

«Nos outros cumes o frio não era tão intenso. Tentar subir quando o vento tinha uma intensidade de 50 quilómetros por hora e a neve a bater-nos na cara foi o principal desafio que senti durante cerca de 30 minutos», disse à agência Lusa Ema Dantas, de 51 anos.

A luso-canadiana atingiu com êxito o cume mais alto da Europa, o Monte Elbrus, no dia 29 de julho, às 11H15 (hora local).

«Serviu acima de tudo para treinar, pelo menos julgo que foi uma amostra do que vai ser o próximo cume a subir, o Vinson Massif na Antártida», acrescentou.

Financiada através do setor privado nas várias expedições, a empresária e tradutora espera angariar no final desta aventura 700 mil dólares canadianos (463 mil euros), que serão canalizados para uma nova unidade do Centro de Dependência e Saúde Mental (CAMH, sigla em inglês).

O novo centro de Saúde Mental será inaugurado em 2020, altura em que Ema Dantas espera também «concluir com sucesso a subida aos sete cumes do mundo».

Filha de emigrantes de Miranda do Douro, distrito de Bragança, Ema Dantas foi para o Canadá com apenas cinco anos, sendo inspirada pela sua mãe, que morreu em 2013, aos 66 anos, afetada por problemas mentais.

De 26 de novembro a 7 de dezembro deste ano, Ema Dantas vai tentar subir ao Monte Vinson, o cume mais alto na Antártida (4.892m).

«Será um pouco mais difícil. É muito mais baixo que o Monte Elbrus, mas a principal dificuldade será a temperatura, pois estarão ente 30 a 60 graus negativos. Outro dos desafios será dormir, pois será sempre de dia», explicou.

Além do Monte Elbrus, na Rússia, a luso-canadiana já tinha subido, em outubro de 2017, à Pirâmide Carstensz (Papua Nova Guiné, Indonésia), e em janeiro de 2018 ao Kilimanjaro (Tanzânia).

Ficam a faltar o Monte Evereste (Nepal), Aconcagua (Argentina), Denali (Alasca, Estados Unidos) e o Monte Kosciuszko (Austrália).

Em 2017 a luso-canadiana criou a Fundação Peak for Change (peaksforchangefoundation.org) uma instituição que pretende apoiar causas solidárias.


Etiquetas
Partilhar

OPINIÃO
Significado das próximas eleições para a Assembleia da República
Paulo Pisco
Deputado do PS
Incêndios rurais: prevenir é mesmo o melhor remédio
Miguel Freitas
Sec. de Estado das Florestas
Por um regresso seguro a casa
José Artur Neves
Sec. de Estado da Proteção Civil
DISCURSO DIRETO
Monumentos ao emigrante em Portugal
Daniel Bastos, Historiador
PORTUGAL
Defesa de nova visão sobre as comunidades portuguesas
José Luís Carneiro
PORTUGAL
Um eterno e constante devir....
José Caria, diretor-adjunto da PORT.COM
PORTUGAL
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ