ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

Brexit: Portugueses confusos com futuro estatuto de residência no Reino Unido
Revista PORT.COM • 24-Out-2018
Brexit: Portugueses confusos com futuro estatuto de residência no Reino Unido



O futuro estatuto de imigração após a saída do Reino Unido da União Europeia é confuso para os residentes portugueses.

Hélder Morgado, que chegou à Escócia há dois anos, pouco depois do referendo que ditou o 'Brexit', considera-se informado pela imprensa portuguesa e britânica, mas, no entanto, o barcelense de 40 anos ainda tem dúvidas.

«Não é muito claro, tenho muitas dúvidas. Gostava de ter informação mais definitiva sobre o que preciso de fazer, mas há muita especulação», afirmou o auxiliar de cuidados de saúde à agência Lusa.

Hélder Morgado admitiu que ainda não tentou pedir o estatuto de residência.

«Não me preocupei muito porque [a saída] é só em 2019 e ouvi dizer que o governo britânico vai dar mais dois anos para as pessoas se registarem, por isso penso que vai haver tempo suficiente», justificou.

Enquanto não completar cinco anos consecutivos a viver no Reino Unido, Hélder Morgado só terá direito a um título provisório ['pre-settled status'], sendo o estatuto de residente permanente ['settled status'] atribuído àqueles que estão há cinco anos ou mais no país.

O governo britânico prometeu que vai defender os direitos dos europeus depois da saída da UE, e afirmou que aqueles que chegarem antes do 'Brexit' vão poder ficar e completar os cinco anos necessários para o título de residência permanente.

Segundo o Ministério do Interior, o ‘settled status' dará aos europeus o direito de «ficar no Reino Unido o tempo que quiserem» após dezembro de 2020, com acesso ao mercado de trabalho, serviços públicos como a educação, saúde, apoios sociais e pensão de reforma.

De acordo com a primeira-ministra, Theresa May, depois do 'Brexit', os cidadãos dos países da UE vão passar a ser tratados da mesma forma que os restantes países de fora da UE e o acesso a empregos britânicos por imigrantes será prioritariamente dado a trabalhadores com melhores qualificações, enquanto que aqueles com menos qualificações vão enfrentar mais restrições.

Apesar de qualificar-se para o estatuto de 'pre-settled', Hélder Morgado receia que, mesmo assim, seja necessário candidatar-se a visto de trabalho e questiona-se se «será viável ficar, se será que vai ser fácil», ou se existe o risco de perder o emprego.

O irmão de Hélder, Carlos Morgado, conta que não é só a incerteza sobre o 'Brexit' que está a levar os europeus a irem-se embora ou a procurarem outros países para imigrarem.

«A libra desvalorizou, o custo de vida aumentou e os salários não sobem. Ainda há portugueses a chegarem para procurar trabalho, mas já não é tão fácil», explicou à Lusa.


Etiquetas
Partilhar

OPINIÃO
Significado das próximas eleições para a Assembleia da República
Paulo Pisco
Deputado do PS
Incêndios rurais: prevenir é mesmo o melhor remédio
Miguel Freitas
Sec. de Estado das Florestas
Por um regresso seguro a casa
José Artur Neves
Sec. de Estado da Proteção Civil
DISCURSO DIRETO
As vivências da emigração portuguesa nos palcos do teatro
Daniel Bastos, Historiador
PORTUGAL
Defesa de nova visão sobre as comunidades portuguesas
José Luís Carneiro
PORTUGAL
Um eterno e constante devir....
José Caria, diretor-adjunto da PORT.COM
PORTUGAL
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ