ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

Celebrar o natal em português por todo o mundo
Revista PORT.COM • 01-Dez-2018
Celebrar o natal em português por todo o mundo



A Revista PORT.COM falou com mais de uma dezena de portugueses que residem e trabalham em países distintos, do Japão à Austrália, de Inglaterra a Moçambique, para saber se viajam até Portugal para passar o Natal junto dos seus familiares ou se ficam no país de acolhimento e o que fazem para mitigar a distância dos entes queridos e da bela mesa à portuguesa, em que o bacalhau e as rabanadas são imprescindíveis.

Uns passam-no no país de acolhimento, outros regressam às origens. Há quem siga à risca a tradição portuguesa ou quem adote hábitos das novas culturas. Uns recebem bacalhau no estrangeiro, outros trazem presentes do país de acolhimento para Portugal.  Seja perto ou longe, uma coisa é certa: todos os nossos conterrâneos deixaram bem expressa a sua empatia pelo significado e pela tradição que envolve esta quadra festiva.

 

Aproveitar o verão da Austrália e de Portugal (Miguel Vairinhos, 37 anos, presidente do Sydney Portugal Community Club, Austrália)

«Estou em Sidney há oito anos e tenho passado sempre o Natal aqui na Austrália, para aproveitar o verão de cá. Costumo ir a Portugal no verão, mas a viagem é muito cansativa, o voo mais direto de Sidney para Lisboa são, pelo menos, 22 horas de avião…

No dia de Natal, aqui na Austrália, a tradição passa por ir para a praia com os amigos e fazer um churrasco. Nesse dia, a maioria das pessoas vai para a praia com um gorro de Pai Natal e tenta surfar umas ondas.

A tradição gastronómica natalícia deste país passa por comer ham (um género de uma perna de fiambre fumada) assado no forno e é isso que vou fazer este ano.

Em nome da comunidade portuguesa em Sidney desejo um feliz Natal a todos os portugueses espalhados por o mundo».

 

“Regressar a casa é imprescindível” (Laura Frederico, 31 anos, atriz em Berlim, Alemanha)

«O Natal em Berlim é, para mim, sinónimo de passear nas ruas, sentir o frio gélido na cara e aquecer com um bom vinho quente. Nesta época, adoro passear pelos mercados de Natal que são muito típicos e apreciados pelas famílias. Aproveito não só para experimentar novas iguarias - os queijos alemães, os frutos secos caramelizados (são de chorar por mais!), os doces... - como também para comprar alguns presentes para a família em Portugal, artesanato, meias quentinhas e caramelos de alcaçuz.

Vivo em Berlim há dois anos e sempre regressei no Natal a casa pois é daquelas épocas do ano que mais me custaria se estivesse longe da família. Compro sempre o bilhete de avião com meses de antecedência! Mas até voltar ao aconchego de casa, da família, da lareira e das filhós, vivo a magia de Berlim, a cada canto e a cada lufada de ar gélido. Feliz Natal!»

 

Leia o destaque na íntegra na edição de dezembro da Revista PORT.COM.


Etiquetas
Partilhar

OPINIÃO
O Festival das Migrações, Culturas e Cidadania
Daniel Bastos
Historiador
Novo Coronavírus provoca epidemia com desfecho imprevisível
Alfredo Martins
Internista e Coordenador do NEDResp
InPortugal 2020 Paris quer desenvolver nova rede de embaixadores
Ricardo Simões
Diretor do InPortugal
DISCURSO DIRETO
A Fundação ISS e o apoio na África Lusófona
Eulalia Devesa, Diretora da Fundação ISS Mais Um Sorriso
PORTUGAL
«Cada vez faz menos sentido falar de emigração»
José Cesário, Deputado do PSD
PORTUGAL
O Projeto de Mobilidade na CPLP
Augusto Santos Silva, Ministro dos Negócios estrangeiros
PORTUGAL
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ