ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

Celebrar o natal em português por todo o mundo
Revista PORT.COM • 01-Dez-2018
Celebrar o natal em português por todo o mundo



A Revista PORT.COM falou com mais de uma dezena de portugueses que residem e trabalham em países distintos, do Japão à Austrália, de Inglaterra a Moçambique, para saber se viajam até Portugal para passar o Natal junto dos seus familiares ou se ficam no país de acolhimento e o que fazem para mitigar a distância dos entes queridos e da bela mesa à portuguesa, em que o bacalhau e as rabanadas são imprescindíveis.

Uns passam-no no país de acolhimento, outros regressam às origens. Há quem siga à risca a tradição portuguesa ou quem adote hábitos das novas culturas. Uns recebem bacalhau no estrangeiro, outros trazem presentes do país de acolhimento para Portugal.  Seja perto ou longe, uma coisa é certa: todos os nossos conterrâneos deixaram bem expressa a sua empatia pelo significado e pela tradição que envolve esta quadra festiva.

 

Aproveitar o verão da Austrália e de Portugal (Miguel Vairinhos, 37 anos, presidente do Sydney Portugal Community Club, Austrália)

«Estou em Sidney há oito anos e tenho passado sempre o Natal aqui na Austrália, para aproveitar o verão de cá. Costumo ir a Portugal no verão, mas a viagem é muito cansativa, o voo mais direto de Sidney para Lisboa são, pelo menos, 22 horas de avião…

No dia de Natal, aqui na Austrália, a tradição passa por ir para a praia com os amigos e fazer um churrasco. Nesse dia, a maioria das pessoas vai para a praia com um gorro de Pai Natal e tenta surfar umas ondas.

A tradição gastronómica natalícia deste país passa por comer ham (um género de uma perna de fiambre fumada) assado no forno e é isso que vou fazer este ano.

Em nome da comunidade portuguesa em Sidney desejo um feliz Natal a todos os portugueses espalhados por o mundo».

 

“Regressar a casa é imprescindível” (Laura Frederico, 31 anos, atriz em Berlim, Alemanha)

«O Natal em Berlim é, para mim, sinónimo de passear nas ruas, sentir o frio gélido na cara e aquecer com um bom vinho quente. Nesta época, adoro passear pelos mercados de Natal que são muito típicos e apreciados pelas famílias. Aproveito não só para experimentar novas iguarias - os queijos alemães, os frutos secos caramelizados (são de chorar por mais!), os doces... - como também para comprar alguns presentes para a família em Portugal, artesanato, meias quentinhas e caramelos de alcaçuz.

Vivo em Berlim há dois anos e sempre regressei no Natal a casa pois é daquelas épocas do ano que mais me custaria se estivesse longe da família. Compro sempre o bilhete de avião com meses de antecedência! Mas até voltar ao aconchego de casa, da família, da lareira e das filhós, vivo a magia de Berlim, a cada canto e a cada lufada de ar gélido. Feliz Natal!»

 

Leia o destaque na íntegra na edição de dezembro da Revista PORT.COM.


Etiquetas
Partilhar

OPINIÃO
Portugal hoje, um país que incentiva ao regresso
Paulo Pisco
Deputado do PS eleito pelos portugueses na Europa
De olhos postos em África com uma estratégia de futuro
Peter Dawson
Presidente do grupo Garland
Não há tempo para se perder tempo!
Vítor Ramalho
Secretário-Geral da UCCLA
DISCURSO DIRETO
O português que ajudou a 'erguer' as memórias do World Trade Center
Luís Mendes, arquiteto
ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA
«Mobilidade no espaço da lusofonia é um dos maiores desafios»
Teresa Ribeiro, SENEC
PORTUGAL
The last man on the moon
José Caria, diretor-adjunto da PORT.COM
PORTUGAL
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ