ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

400 famílias regressadas da Venezuela aguardam casa na Madeira
Revista PORT.COM • 11-Dez-2018
400 famílias regressadas da Venezuela aguardam casa na Madeira



A secretária regional da Inclusão e Assuntos Sociais da Madeira, Rita Andrade, disse que há 400 famílias regressadas da Venezuela à espera de casa no arquipélago, revelando que as necessidades habitacionais para esta população «não param de aumentar».

«No último apuramento enviado à Secretaria de Estado da Habitação e ao IHRU [Instituto da Habitação e Reabilitação Urbana], com data de 22 de outubro passado, comunicámos a existência de 349 famílias inscritas na IHM [Investimentos Habitacionais da Madeira] e posso comunicar que à data de hoje estão já inscritas 400 famílias. Este é um fenómeno cujos pedidos de ajuda não param de aumentar», referiu.

A governante madeirense falava na cerimónia de assinatura e homologação do protocolo institucional entre o IHRU e a IHM, no âmbito do qual 62 famílias regressadas da Venezuela irão receber igual número de habitações e respetivo apoio à renda por parte do Governo da República.

Trinta e quatro daquelas famílias receberam já os contratos, com os quais poderão proceder aos contratos de água e de eletricidade e a 28 de dezembro receberão as respetivas chaves dos apartamentos. As restantes 28 famílias formalizarão os seus contratos em maio do próximo ano.

«Continuaremos a defender os lusodescendentes que agora regressam e os interesses da região e dos madeirenses, para que não se confundam os apoios habitacionais dados aos lusodescendentes e às famílias madeirenses que, na mesma condição de carência habitacional, necessitam e estão inscritos na habitação», declarou, acrescentando que o Governo Regional inscreveu uma verba para respostas habitacionais no valor superior a 33 milhões de euros, no Orçamento Regional para 2019 .

A cerimónia foi marcada pela presença da secretária de Estado da Habitação, Ana Pinho, que disse ser «da máxima prioridade do Governo da República resolver e dar apoio a todas as famílias em carência».

A política de proporcionar uma habitação condigna a todos os portugueses com carências habitacionais, no país e nas regiões autónomas, será concretizada pelo programa "O 1º Direito - Programa de Apoio ao Acesso à Habitação" com uma dotação orçamental para 2019 no valor de 40 milhões de euros.

«O que se estima que seja necessário mobilizar para apoio financeiro ao abrigo do "1º Direito" é um total de 1.700 milhões de euros para estas 26.000 famílias, sendo que, destes 1.700 milhões de euros, 700 milhões são em comparticipação a fundo perdido por parte do Governo da República», observou.


Etiquetas
Partilhar

OPINIÃO
A CPLP mais perto das pessoas
Francisco Ribeiro Telles
Secretário Executivo da CPLP
Gestão multicultural das equipas
António Cunha Meneses Abrantes
Professor Auxiliar na ICN Business School de Nancy
Já se ouve o Fado na Eslovénia
João Pita Costa
Editor da revista luso-eslovena Sardinha
DISCURSO DIRETO
Memórias e recordações da emigração portuguesa na Alemanha
Daniel Bastos
PORTUGAL
«Existe muita exploração laboral perpetrada por portugueses»
Luísa Semedo
FRANÇA
«Mercado chinês tem potencial para as empresas portuguesas»
José Augusto Duarte
CHINA
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ