ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

Portugal ofereceu 4.000 cartões de cidadão e 4.500 passaportes a lusodescendentes da Venezuela
Revista PORT.COM • 26-Fev-2019
Portugal ofereceu 4.000 cartões de cidadão e 4.500 passaportes a lusodescendentes da Venezuela



O secretário de Estado das Comunidades Portuguesas disse hoje que o Estado ofereceu 4.000 Cartões de Cidadão a lusodescendentes na Venezuela, além de 4.500 passaportes, num apoio total de 12 milhões de euros.

«Desde outubro até janeiro, o Estado português literalmente ofereceu, atribuiu 4.000 cartões de cidadão a lusodescendentes na Venezuela e 4.500 passaportes, ou seja, o Estado decidiu não cobrar, pagámos à Casa da Moeda para os emitir e entregámo-los literalmente aos cidadãos», disse José Luís Carneiro aos jornalistas, no final de uma sessão para anunciar o II Encontro Intercalar de Investidores da Diáspora, na Madeira, em julho.

«Entre 2016 e 2018 já tínhamos decidido não aumentar os encargos com os emolumentos consulares, e desde então conferimos um apoio direto superior a 12 milhões de euros», vincou o governante.

Nas declarações aos jornalistas, José Luís Carneiro disse ainda não ter registo de lusodescendentes afetados pela tensão e confrontos que se registaram durante o fim de semana na Venezuela, nomeadamente nas zonas de fronteira com a Colômbia e com o Brasil.

O governante aproveitou para salientar um conjunto de medidas destinadas a promover o regresso dos emigrantes como forma de «enfrentar o desafio demográfico que Portugal e a Europa enfrentam».

Assim, nos próximos dias será lançada pelo Ministério do Ensino Superior «uma campanha em várias comunidades portuguesas para que os filhos dos emigrantes saibam que há uma quota específica de 3.500 vagas a que podem concorrer e que, sendo insuficiente, a quota será reforçada».

Também dentro de dias «será apresentado o conjunto global de medidas para garantir o regresso de cidadãos portugueses que sintam que as comunidades já não permitem as condições de vida nos termos expectáveis», acrescentou o governante, concluindo que Portugal "tem os braços abertos porque o país precisa que muitos dos que saíram regressem às terras de origem para enfrentar o desafio demográfico».


Etiquetas
Partilhar

NOTÍCIAS RELACIONADAS
OPINIÃO
A sua atitude de confiança conta: não só com o vírus...
Susana Cor de Rosa
Consultora empresarial
Os efeitos do medo do coronavírus...
Daniel Bastos
Historiador
Novo Coronavírus provoca epidemia com desfecho imprevisível
Alfredo Martins
Internista e Coordenador do NEDResp
DISCURSO DIRETO
A Fundação ISS e o apoio na África Lusófona
Eulalia Devesa, Diretora da Fundação ISS Mais Um Sorriso
PORTUGAL
«Cada vez faz menos sentido falar de emigração»
José Cesário, Deputado do PSD
PORTUGAL
O Projeto de Mobilidade na CPLP
Augusto Santos Silva, Ministro dos Negócios estrangeiros
PORTUGAL
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ