ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

Mulheres inspiradoras na Diáspora portuguesa
Revista PORT.COM • 08-Mar-2019
Mulheres inspiradoras na Diáspora portuguesa



A PORT.COM recolheu os testemunhos de algumas portuguesas ‘de garra’ na Diáspora que, mesmo estando fora do seu país, conseguiram enfrentar os desafios e triunfar além-fronteiras.

No dia 8 de março celebra-se a Mulher e a sua luta pela igualdade, respeito e dignidade perante uma sociedade complexa que faz, diversas vezes, com que as conquistas alcançadas não sejam universais. Hoje já existem milhares de casos que contrariam a tendência e mostram não aceitar que a discriminação que recai sobre as mulheres seja só parte da norma. A PORT.COM recolheu os testemunhos de algumas portuguesas ‘de garra’ na Diáspora que, mesmo estando fora do seu país, conseguiram enfrentar os desafios e triunfar além-fronteiras.

Sofia Castro Lopes, investigadora, África do Sul

«O que começou por ser uma grande vontade de experimentar o mundo e de dar o meu contributo tornou-se depois uma forma de estar. Foi desta vontade que nasceram os mais improváveis percursos que me levaram a diversos contextos, muito diferentes da minha

origem. Da Nicarágua à Guiné-Bissau, passando por Barcelona, e agora na Cidade do Cabo, na África do Sul, em todas as paragens houve momentos bons, de triunfo e também dificuldades e contratempos.

Triunfar num contexto novo, na minha experiência, tem duas vertentes: a profissional e a pessoal. Profissionalmente, significa compreender a filosofia e a cultura do local de trabalho, perceber as expectativas específicas do contexto e sentir que faço parte da equipa. Tudo isto para além de cumprir os projetos, objetivos e tarefas que tenho em mãos. Pessoalmente, significa encontrar uma rede de amigos, compreender e experimentar a cultura, e realizar atividades, novas ou velhas, associadas ao lazer e prazer. Por fim, ter uma rotina e encontrar sítios preferidos para ir e visitar.

Manter a ligação àquilo que somos e de onde viemos é importante para este sucesso. Faz-nos sentir tranquilos na nossa pele e centrados no nosso percurso, contudo é também a fonte das “tão nossas” saudades.

Não ter a família, os amigos de sempre, os lugares seguros onde gosto de tomar café e demorar-me, e as ruas do Porto, que centenas de vezes percorri, são, talvez, as principais dificuldades no meu percurso. Depois, as barreiras culturais e linguísticas. Os lost in translation que acontecem com alguma frequência, o humor que nem sempre é partilhado fazem-me sentir algo só e, por vezes, uma verdadeira outsider. E claro, a falta de uma boa sopa, uma pescada frita com arroz de feijão e o nosso bacalhau espiritual que tanto me conforta a alma.

A disponibilidade para estar, ouvir e experimentar são, na minha realidade, os elementos essenciais para o triunfo de uma portuguesa pelo mundo».

 

Celeste Mendes, empresária, Brasil

«Saí de Portugal muito jovem, com 19 anos, e vim com o meu marido para o Brasil. Ao longo da vida ultrapassámos alguns obstáculos e conseguimos criar de raiz uma empresa de construção – a Miramar. Eu sempre fiquei mais em casa a tomar conta dos meus filhos e deixava o meu marido livre para trabalhar. Tinha saudades do país, da família, mas sempre mantive a ideia de que íamos vencer e superar os obstáculos que nos iam aparecendo.

Hoje, há 46 anos no Brasil, não voltaria para Portugal.

Quando temos o objetivo de vencer na vida, quando lutamos por isso, conseguimos, porque ninguém vence sem passar barreiras nem dificuldades.

Gosto muito de estar no Brasil, mas o que me ajudou foi o facto de já vir mentalizada, para enfrentar o que fosse necessário. Hoje temos uma vida larga e farta, conquistámos um império, mas no começo tentávamos poupar de todas as maneiras, apesar de nunca ter passado por muitas dificuldades.

 

Estive sempre na retaguarda do meu marido, a apoiá-lo em tudo e hoje a Miramar é uma das maiores empresas de construção no Brasil. Tenho muito orgulho nisso e nos meus filhos que, neste momento, estão à frente da empresa.»

 

Leia todos os testemunhos na edição de março da Revista PORT.COM.


Etiquetas
Partilhar

OPINIÃO
Portugal hoje, um país que incentiva ao regresso
Paulo Pisco
Deputado do PS eleito pelos portugueses na Europa
De olhos postos em África com uma estratégia de futuro
Peter Dawson
Presidente do grupo Garland
Não há tempo para se perder tempo!
Vítor Ramalho
Secretário-Geral da UCCLA
DISCURSO DIRETO
O português que ajudou a 'erguer' as memórias do World Trade Center
Luís Mendes, arquiteto
ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA
«Mobilidade no espaço da lusofonia é um dos maiores desafios»
Teresa Ribeiro, SENEC
PORTUGAL
The last man on the moon
José Caria, diretor-adjunto da PORT.COM
PORTUGAL
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ