ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

Canadá: associações portuguesas precisam de se voltar para os jovens
Revista PORT.COM • 15-Abr-2019
Canadá: associações portuguesas precisam de se voltar para os jovens



As associações portuguesas continuam a ter um papel fundamental na promoção da cultura portuguesa no Canadá e cada vez mais «necessitam de se voltar para os mais jovens».

Adam da Costa Gomes tem 21 anos e é aluno de português na Universidade de Toronto. Em declarações à agência Lusa, afirmou que o «orgulho em ser português» é um dos principais motivos que fazem os jovens lusodescendentes, como ele mesmo, continuar ligados às raízes e à cultura portuguesas.

«Hoje em dia, em países como o Canadá, é muito difícil encontrar este orgulho e ter estas ligações às tradições e às raízes e cultura portuguesas. Devo muito aos meus pais por me incentivarem e mostrarem que é bom ser português e ter orgulho nas nossas raízes» revelou o jovem.

Filho de emigrantes de S. Miguel (Açores) e de Torres Vedras (Lisboa), Adam integra o Rancho Folclórico Cultural Português de Mississauga há dez anos e reconheceu ser «difícil encontrar respostas para o facto de não se verificar um maior envolvimento dos jovens com a comunidade».

A Associação Portuguesa da Universidade de Toronto (UTPA, na sigla inglesa), é uma organização com mais de 35 anos e promoveu um evento para reunir estudantes lusodescendentes e assim se «mostrar à comunidade escolar», mantendo «esta ligação e este orgulho pelas raízes e não perder o sentimento de união, não perder esta ligação», sublinhou o diretor da UTPA.

O evento contou com a participação da Luso-Can Tuna, a Tuna Portuguesa da Universidade de Toronto, do Rancho Folclórico ‘Os Camponeses’ e alguns talentos locais. Em Ontário, são mais de 40 os clubes, associações e ranchos folclóricos portugueses, localizados na sua maioria na Grande Área de Toronto.

Tânia Barbosa tem 21 anos e é estudante de Ciências Forenses na Universidade de Toronto. Filha de emigrantes de Valença e de Arcos de Valdevez, é membro da UTPA e reconhece que «é muito importante continuarmos ligados às nossas raízes e aprendermos algo mais sobre a nossa cultura» mas refere que, para além de se «promover a cultura portuguesa em eventos como a Páscoa, o Carnaval ou a Festa dos Reis» também é necessário organizar «eventos dirigidos para a faixa etária mais jovem».

«Já há associações culturais a organizarem iniciativas como noites de bowling. É na associação, mas os jovens interessam-se por este género de iniciativas. Muitos não querem ir para uma festa e ouvir os ranchos. É também importante que se fale português e inglês com aqueles que não se sintam tão à vontade com a nossa língua» disse a jovem.

Anabela Rato, professora auxiliar no Departamento de Espanhol e Português na Universidade de Toronto, sublinhou que as associações como a UTPA são «fundamentais para que os alunos lusodescendentes se identifiquem com a cultura» e, desse modo, «poderem estabelecer laços familiares com a cultura lusófona, com o país, com a história e com a própria língua portuguesa». A professora acrescentou ainda que a UTPA é «uma associação que procura reunir o maior número de apoios para poder dividi-los com os colegas, como é visível nas próprias ofertas generosas de bolsas de estudo, anualmente atribuídas» e também «uma associação que não se cinge apenas ao espaço universitário ou aos trabalhos académicos».

Luciana Graça, leitora do Camões - Instituto da Cooperação e da Língua, destacou que, com a associação, os lusodescendentes «sentem-se mais facilmente integrados na vida académica, pois sentem-se desde logo já perto - e parte - de uma comunidade».

No primeiro semestre do presente ano letivo, os alunos de português intermédio e avançado escreveram livros infantis, tendo por base um provérbio popular de um país lusófono. Estes livros serão agora enviados para crianças de Angola e Cabo Verde, graças aos apoios do Departamento de Espanhol e Português, da Coordenação de Ensino do Português no Canadá/Camões IP, da Academia do Bacalhau de Toronto e da Angolan Community of Ontario - ACO.

No programa de português da Universidade de Toronto, estão inscritos perto de 170 alunos no presente ano letivo.


Etiquetas
Partilhar

OPINIÃO
Portugal hoje, um país que incentiva ao regresso
Paulo Pisco
Deputado do PS eleito pelos portugueses na Europa
De olhos postos em África com uma estratégia de futuro
Peter Dawson
Presidente do grupo Garland
Não há tempo para se perder tempo!
Vítor Ramalho
Secretário-Geral da UCCLA
DISCURSO DIRETO
O português que ajudou a 'erguer' as memórias do World Trade Center
Luís Mendes, arquiteto
ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA
«Mobilidade no espaço da lusofonia é um dos maiores desafios»
Teresa Ribeiro, SENEC
PORTUGAL
The last man on the moon
José Caria, diretor-adjunto da PORT.COM
PORTUGAL
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ