ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

Boletins devolvidos ameaçam votos de portugueses no Reino Unido
Revista PORT.COM • 20-Set-2019
Boletins devolvidos ameaçam votos de portugueses no Reino Unido



Dezenas de envelopes estão a ser devolvidos pelos correios britânicos, ameaçando o voto por correspondência de portugueses residentes no Reino Unido para as eleições legislativas de outubro.

De acordo com Pedro Xavier, proprietário de um escritório de serviços de apoio à comunidade e presidente da secção do PSD no Reino Unido, nos últimos dias teve conhecimento de 127 casos.

«Tive algumas pessoas que vieram ao escritório pedir ajuda, porque o processo não é simples, e poucos dias depois voltaram a dizer que o envelope tinha sido devolvido. Entretanto, recebi mais mensagens e telefonemas com mais casos», disse à agência Lusa.

O conselheiro das comunidades portuguesas António Cunha e um dos diretores do Centro Comunitário Português, Artur Domingos, corroboraram o problema, tendo identificado «dezenas de casos», muitos dos quais comentados também nas redes sociais.

António Cunha está otimista quando à persistência dos eleitores, os quais insistem em saber o que podem fazer para poderem votar.

Mas Pedro Xavier e Artur Domingos dizem que muitas pessoas «não estão para se chatear» e estão a mandar os envelopes devolvidos «para o lixo».

«O processo em si já não é fácil», refere Xavier, referindo a obrigação de juntar uma fotocópia do Cartão do Cidadão, frente e verso, ao envelope com o boletim de voto e depois dobrar para caber tudo no sobrescrito com porte pré-pago.

Perante o mesmo problema, o conselheiro das comunidades portuguesas na Escócia, Sérgio Tavares, sugeriu que se escreva "From" [De] junto ao remetente e "To" [Para] junto ao destinatário, para diferenciar os endereços.

Porém, também verificou que um funcionário dos correios britânicos não identifica a referência ao porte pago, que está em língua francesa e portuguesa, e não em inglês.

«Foi-me garantido que estavam a ser feitas diligências, através do Ministério dos Negócios Estrangeiros e também pelos CTT, este último junto do Royal Mail, para resolver a situação», informou, através da rede social Facebook.

Tem sido nesta plataforma que vários portugueses têm levantado dúvidas sobre a necessidade do envio de uma fotocópia do Cartão do Cidadão, uma exceção prevista à lei que interdita a exigência de uma cópia do documento.

«Há uma desconfiança, porque sai uma lei para não tirar cópias e depois pedem a cópia sem explicar a segurança ou como evitar o uso indevido. Este assunto devia ser mais transparente e estamos sem argumentos», refere o dirigente do Centro Comunitário.

Pedro Xavier fala de «desconforto» entre os portugueses residentes no Reino Unido com os diferentes problemas do processo e que isso «está a desmotivar» o exercício do direito cívico.

Para ser validado, o voto por correspondência tem de chegar a Lisboa até dez dias após a data de eleições, que se realizam a 06 de outubro.


Etiquetas
Partilhar

OPINIÃO
Macau: uma oportunidade ainda a descobrir
Alberto Carvalho Neto
Presidente da AJEPC
A importância da participação eleitoral nas comunidades
José Luís Carneiro
SECP
4 pilares para a prevenção de Alzheimer
George Perry
Diretor da Fac. de Ciências da Univ. do Texas
DISCURSO DIRETO
A preservação da memória e identidade da emigração portuguesa na toponímia
Daniel Bastos, Historiador
PORTUGAL
Portugal a votos
José Caria, Diretor-Adjunto da PORT.com
PORTUGAL
Lusos em Luanda
Jack Soifer, Consultor Internacional
PORTUGAL
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ