ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

«Visita à Venezuela permitiu conhecer melhor realidade dos portugueses»
Revista PORT.COM • 31-Jan-2020
«Visita à Venezuela permitiu conhecer melhor realidade dos portugueses»



A secretária de Estado das Comunidades Portuguesas, Berta Nunes, disse que a visita de cinco dias à Venezuela permitiu um melhor conhecimento dos problemas e realidade da comunidade luso-venezuelana.

«A missão está cumprida no sentido de um melhor conhecimento das situações e dos problemas, mas agora tenho muito trabalho de casa para fazer», afirmou Berta Nunes.

A governante falava à agência Lusa ao finalizar a deslocação à Venezuela, onde manteve contacto com autoridades locais e com portugueses em Caracas, Los Teques, Carrizal, Maracay e Valência.

«Há muitas questões que irei transmitir também superiormente e iremos trabalhar também na Secretaria de Estado de forma a melhorar tudo o que temos vindo a fazer e resolver algumas situações que nos foram transmitidas e que são também ainda um problema», adiantou.

Berta Nunes disse levar da Venezuela «muito trabalho e também uma grande sensibilização».

 «Fiquei extremamente surpreendida com o empreendedorismo, com o esforço, com a resiliência da nossa comunidade e isso também me dá mais responsabilidade e mais empenho para poder fazer mais e melhor por esta comunidade», referiu.

Berta Nunes frisou ainda que a sua «principal prioridade continuará a ser acompanhar" os portugueses da Venezuela, "tendo em conta as várias situações e problemas que a comunidade enfrenta", para "dar um contributo, uma ajuda» para ultrapassar essas dificuldades.

«De facto, a crise teve um impacto grande na nossa comunidade, temos problemas sociais, de segurança, mas da nossa parte, ouvindo a comunidade, dialogando com a comunidade, acompanhando e vindo cá as vezes que forem necessárias, iremos continuar a apoiar naquilo que for necessário e estiver ao nosso alcance», garantiu.

A governante salientou que «a comunidade pode estar completamente ciente de que o Governo português vai continuar a dar este apoio, esta presença e este acompanhamento».

Durante a visita, a secretária de Estado manifestou preocupação com a situação dos portugueses idosos, ouviu queixas de atrasos nos processos de atribuição de apoio social a idosos e a emigrantes carenciados, e instruiu os consulados para «fazer um memorando sobre o que é que é preciso mudar, melhorar e acelerar».

Berta Nunes anunciou ainda que Portugal vai aumentar de 30 para 45 euros o valor mínimo a atribuir aos portugueses carenciados.

Nos encontros com a comunidade, a governante ouviu preocupações relacionadas com os pedidos de nacionalidade (que aumentaram significativamente no interior do país), com a obtenção de medicamentos e anunciou que o Governo português está a ponderar alargar o leque de fármacos que distribui através das redes de apoio a cidadãos nacionais residentes na Venezuela, para incluir também as doenças crónicas.

Berta Nunes também ouviu queixas da comunidade portuguesa em relação aos «preços elevados» praticados pela TAP e à “falta de comodidade” nos aviões usados nos voos para a Venezuela, cuja duração é de mais de oito horas em cada sentido.

A secretária de Estado queixou-se de que a crise venezuelana deixou de ser notícia na imprensa de Portugal, mas que «é importante que as pessoas percebam que a Venezuela continua a precisar de atenção e de apoio».

A governante realçou, por outro lado, a capacidade de mobilização e de entreajuda da comunidade portuguesa, e o trabalho dos consulados e das associações lusas locais, como são os casos do Lar da Terceira Idade Padre Joaquim Ferreira, o Lar Geriátrico de Maracay, o Centro Português de Caracas, a Casa Portuguesa de Maracay, o Centro Social Madeirense de Valência e a Casa Portuguesa Venezuelana de Carabobo.

Segundo Berta Nunes, a organização não-governamental "Regala una sonrisa" (Dá um sorriso) vai contar com o apoio da Direção-Geral dos Assuntos Consulares e Comunidades Portuguesas para identificar «muitos idosos (portugueses) que não estão na rua, mas que estão sozinhos em casa, em situações muitas vezes de abandono e até de indigência e começar a trabalhar essas situações».

Foto: Nurphoto


Etiquetas
Partilhar

NOTÍCIAS RELACIONADAS
OPINIÃO
Os efeitos do medo do coronavírus...
Daniel Bastos
Historiador
Novo Coronavírus provoca epidemia com desfecho imprevisível
Alfredo Martins
Internista e Coordenador do NEDResp
InPortugal 2020 Paris quer desenvolver nova rede de embaixadores
Ricardo Simões
Diretor do InPortugal
DISCURSO DIRETO
A Fundação ISS e o apoio na África Lusófona
Eulalia Devesa, Diretora da Fundação ISS Mais Um Sorriso
PORTUGAL
«Cada vez faz menos sentido falar de emigração»
José Cesário, Deputado do PSD
PORTUGAL
O Projeto de Mobilidade na CPLP
Augusto Santos Silva, Ministro dos Negócios estrangeiros
PORTUGAL
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ