ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

Cap Magellan quer ‘reivindicar outro estatuto’ para portugueses em França
Revista PORT.COM • 29-Jan-2017
Cap Magellan quer ‘reivindicar outro estatuto’ para portugueses em França



O 25.º aniversário da Cap Magellan é marcado, este domingo, pelo concerto do grupo Resistência no Bataclan, em Paris.

A associação de jovens lusodescendentes Cap Magellan, que organiza, este fim de semana, a primeira edição dos "Estados Gerais da Lusodescendência", em Paris, quer "reivindicar outro estatuto" para os portugueses, disse a delegada-geral da associação, Luciana Gouveia.

"Em França, os portugueses continuam a ser esta comunidade tranquila, apagada, que vive um bocadinho da condescendência dos outros e é necessário também começar a reivindicar outro estatuto e o estatuto que merecemos. Quer dizer, somos a primeira nacionalidade estrangeira em França e basta olharmos para os números do ensino do português em França que são ridículos", explicou Luciana Gouveia à Lusa, adiantando que "há 30 mil pessoas a aprender português e mais de dois milhões a aprender espanhol".

A dirigente explicativa explicou que um dos objetivos dos "Estados Gerais da Lusodescendência", que começaram ontem, na Maison du Portugal - André de Gouveia, é lançar "essa picada de provocação" e uma "chamada de atenção para os franceses mas também para os portugueses" para que a presença lusófona seja mais visível em França.

Nesse sentido, o evento apresenta uma rede com uma centena de estruturas associativas ligadas ao ensino da língua portuguesa em França e "convencer esta centena de estruturas presentes a assinar uma carta de compromisso" para acolher campanhas de promoção do ensino da cultura e da língua portuguesas e campanhas de apelo ao recenseamento e de apelo ao voto.

A delegada-geral da Cap Magellan afirmou que os "Estados Gerais da Lusodescendência", criados no âmbito do 25.º aniversário da associação, também pretendem promover a redação de um questionário sobre o apoio à lusofonia em França dirigido aos candidatos às eleições presidenciais e legislativas francesas e aos deputados portugueses.

"Estamos agora num ano de eleições presidenciais em França, os portugueses não podem votar, mas os franceses de origem portuguesa podem votar e, de qualquer forma, a comunidade portuguesa tem de questionar os candidatos sobre o que farão em relação às temáticas aqui evocadas, à promoção da língua portuguesa e qualquer temática que possa interessar a comunidade portuguesa", indicou.

Luciana Gouveia acrescentou que este ano deverá ser lançado um estudo sobre os lusodescendentes promovido pela Fundação Calouste Gulbenkian de Lisboa, "também a partir dos resultados destes Estados Gerais", e que a Cap Magellan deverá organizar um encontro sobre a emigração em 2018, um ano antes dos próximos "Estados Gerais da Lusodescendência".

O 25.º aniversário da Cap Magellan é marcado, este domingo, pelo concerto do grupo Resistência no Bataclan, em Paris, a sala de concertos que foi um dos alvos dos atentados da noite de 13 de novembro de 2015, que causaram 130 mortos, 90 dos quais neste local de espetáculos.


Etiquetas
Partilhar

OPINIÃO
O acervo bibliográfico sobre a emigração portuguesa
Daniel Bastos
Historiador
Defender a União Europeia e os direitos de cidadania
Paulo Pisco
Deputado do PS
Saibamos aumentar a participação cívica das nossas comunidades
José Cesário
Deputado do PSD
DISCURSO DIRETO
Dia de Portugal e 5.º aniversário da Revista PORT.COM
Marcelo Rebelo de Sousa
PORTUGAL
Língua portuguesa, um passaporte para o presente e para o futuro
Luís Faro Ramos, pres. do Camões I.P.
PORTUGAL
Função de grande responsabilidade e relevância social
José Luís Carneiro, SEC
PORTUGAL
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ