ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

Consulados de Portugal em Moçambique deixam de emitir vistos Schengen
Revista PORT.COM • 27-Abr-2017
Consulados de Portugal em Moçambique deixam de emitir vistos Schengen



Quem tem dupla nacionalidade e quiser viajar para o espaço Schengen deve ter os respetivos passaportes válidos e apresentá-los em cada um dos países.

Os consulados-gerais de Portugal em Moçambique, em Maputo e na Beira, aceitaram ontem pela última vez pedidos de visto Schengen para quem tem dupla nacionalidade moçambicana e portuguesa.

A norma aplica-se também à dupla nacionalidade moçambicana e de qualquer outro país do espaço Schengen.

Os vistos deixam de ser emitidos a partir de 1 de maio, mas como o prazo para tramitação pode chegar a 48 horas, só podem ser aceites pedidos até dia 26", explicou à Lusa o cônsul-geral de Portugal em Maputo, Frederico Silva.

Quem tem dupla nacionalidade e quiser viajar para o espaço Schengen deve ter os respetivos passaportes válidos e apresentá-los em cada um dos países.

Há muitos cidadãos que já o fazem, mas ainda há inúmeros outros que preferem deslocar-se a um dos consulados-gerais de Portugal e pedir visto Schengen no passaporte moçambicano.

A medida tem uma raiz histórica.

"Até 2004 não era permitida a dupla nacionalidade [em Moçambique], proibição que se mantém em países vizinhos, como a Suazilândia e a Tanzânia, por exemplo", explicou Frederico Silva.

No entanto, "em 2004 a Constituição foi revista" e já nada impede um moçambicano de ter outra nacionalidade.

Colocar um visto Schengen num passaporte de Moçambique, para quem também tem a nacionalidade portuguesa, deixou de ser uma medida "necessária", além de já não ser "legalmente admissível à luz da legislação europeia", acrescentou.

Sem apontar uma estimativa, o cônsul-geral em Maputo disse acreditar que a medida vai abranger um "número significativo" de portugueses.

"Daremos o tratamento possível a cidadãos que, por necessidade de viagem, tenham que renovar o passaporte ou cartão de cidadão", sublinhou.

Frederico Silva realçou que é necessário ter um cartão de cidadão válido para poder pedir ou renovar um passaporte.


Etiquetas
Partilhar

OPINIÃO
O Festival das Migrações, Culturas e Cidadania
Daniel Bastos
Historiador
Novo Coronavírus provoca epidemia com desfecho imprevisível
Alfredo Martins
Internista e Coordenador do NEDResp
InPortugal 2020 Paris quer desenvolver nova rede de embaixadores
Ricardo Simões
Diretor do InPortugal
DISCURSO DIRETO
A Fundação ISS e o apoio na África Lusófona
Eulalia Devesa, Diretora da Fundação ISS Mais Um Sorriso
PORTUGAL
«Cada vez faz menos sentido falar de emigração»
José Cesário, Deputado do PSD
PORTUGAL
O Projeto de Mobilidade na CPLP
Augusto Santos Silva, Ministro dos Negócios estrangeiros
PORTUGAL
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ