ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

imagem
Revista PORT.COM • 27-Jul-2017
20 empresas portuguesas na maior feira de Angola



A comitiva portuguesa contará com 20 empresas, sendo por isso a mais representativa entre as estrangeiras, seguida de expositores do Brasil, Suécia, África do Sul, Zâmbia, Índia e mais de uma dezena de empresários chineses, que participam individualmente.

São 20 empresas as portuguesas que estão presentes na Feira Internacional de Luanda, depois de no ano passado ter sido cancelada devido à crise motivada pelos baixos preços do petróleo e consequente quebra de receitas.

Só a participação portuguesa a cargo da Associação Empresarial de Portugal (AEP) junta 17 empresas, de setores como construção, agroalimentar, engenharia, metalomecânica e cerâmica, e que são habituais exportadoras para o mercado angolano.

"Mas para os restantes 12 a sua presença na FILDA será uma estreia", informou a AEP, que organiza a participação portuguesa naquela feira, com o apoio da Câmara de Comércio e Indústria Portugal-Angola (CCIPA) e da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP).

A 33.ª edição da Feira Internacional de Luanda decorre até ao dia 30 de julho, em plena marginal junto à baía da capital angolana, e as cerca de duas dezenas de empresas portugueses voltam a dar a Portugal, como nas feiras anteriores, o título de maior representatividade estrangeira, em busca de novas oportunidades de negócio.

Angola é o maior produtor de petróleo em África, mas enfrenta desde final de 2014 uma grave crise económica, financeira e cambial - que condiciona nomeadamente as importações - decorrente da quebra na cotação internacional do barril de crude.

"Angola é um importante parceiro comercial de Portugal, principalmente enquanto destino de exportação", enfatiza a AEP, recordando que "embora nos últimos anos as exportações tenham registado um ligeiro decréscimo", o saldo da balança comercial é "fortemente positivo para" Portugal, tendo superado os 2,2 mil milhões de euros em 2015.

Segundo Bruno Albernaz, presidente do conselho de administração da Eventos Arena, empresa promotora da 33.ª edição da FILDA e escolhida há pouco mais de um mês para a organização, cerca de 70% dos expositores representam empresas angolanas, havendo mais empresas de 10 países estrangeiros, num total de 225 expositores.

"É uma boa surpresa, para já para a conjuntura e para o momento que o país está a viver. É um número que nos surpreende e que nos enche de alguma forma de satisfação, pelo facto de termos trabalhado a realização deste evento em tão pouco e mesmo assim tivemos uma grande resposta, não só das empresas angolanas, mas também de alguns empresários estrangeiros", sublinhou Bruno Albernaz, face à perspetiva inicial, de cerca de 200 empresas representadas.


Etiquetas
Partilhar

OPINIÃO
Emigração, Economia e Participação Política em Portugal
Daniel Bastos
Historiador
PSD recomenda ao Governo a criação de um Programa Especial de Apoio a Portugueses
José Cesário
Deputado do PSD
As relações económicas têm uma dimensão humana importante
Kirsty Hayes
Embaixadora do Reino Unido em Portugal
DISCURSO DIRETO
'O Estado abandonou o país rural'
Nádia Piazza
PORTUGAL
'Temos uma dívida de gratidão para com os nossos emigrantes'
José Maria Costa
PORTUGAL
José Redondo e a paixão pelo râguebi
José Redondo
PORTUGAL
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ