ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

Moçambique está a tornar-se economia de crescimento modesto
Revista PORT.COM • 28-Dez-2017
Moçambique está a tornar-se economia de crescimento modesto



Moçambique está a converter-se numa economia de crescimento modesto, depois de anos a impor-se como um país de rápido crescimento, considera a última análise do Banco Mundial sobre o país, em 2017.

"Os desenvolvimentos na segunda metade deste ano indicam que o abrandamento do desempenho económico de Moçambique pode estar a instalar-se e a tornar esta economia, outrora em rápido crescimento, numa economia com um ritmo de crescimento mais modesto", diz o Banco Mundial.

A previsão para este ano, prossegue o documento, indica para que o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) caia para 3,1% em 2017, apesar do aumento substancial nas exportações de carvão e alumínio.

Entre 2011 e 2015, a taxa do Produto Interno Bruto (PIB) de Moçambique atingiu 7%, assinala o Banco Mundial.

"Embora as exportações de carvão e alumínio tenham disparado, as pequenas e médias empresas ficaram ainda mais para trás, com destaque para o setor da indústria transformadora, que, pela primeira vez desde 1994, registou uma contração", lê-se no documento.

O nível de concentração na economia também intensificou em 2017 e há algumas matérias-primas a dominar as exportações e responsáveis por uma maior quota de entrada de divisas, o que aumenta a exposição a choques externos.

"A maior concentração de produção no setor dos minerais e da indústria extrativa mantêm Moçambique rumo a uma economia a duas velocidades", refere a análise.

O atual padrão de crescimento da economia, prossegue, tem hoje menos capacidade de gerar empregos suficientes para absorver o influxo líquido de quase 500.000 pessoas por ano.

Para o Banco Mundial, as tendências observadas em 2017 deixam claro que Moçambique precisa de redobrar esforços no sentido de apoiar as pequenas e médias empresas e de olhar para além do setor extrativo para alcançar um crescimento adequado.

Aquele organismo defende uma resposta mais forte em termos de políticas fiscais e mais transparência, assinalando que essas ações são cruciais para a recuperação.

O Banco Mundial faz notar que medidas decisivas em termos de política monetária e um sólido desempenho em termos de exportações de matérias-primas ajudaram a estabilizar o metical e a reduzir a inflação em 2017.

A política fiscal, prossegue, também começou a responder aos desafios do momento, porém, a um ritmo mais lento.


Etiquetas
Partilhar

OPINIÃO
Portugal hoje, um país que incentiva ao regresso
Paulo Pisco
Deputado do PS eleito pelos portugueses na Europa
De olhos postos em África com uma estratégia de futuro
Peter Dawson
Presidente do grupo Garland
Não há tempo para se perder tempo!
Vítor Ramalho
Secretário-Geral da UCCLA
DISCURSO DIRETO
O português que ajudou a 'erguer' as memórias do World Trade Center
Luís Mendes, arquiteto
ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA
«Mobilidade no espaço da lusofonia é um dos maiores desafios»
Teresa Ribeiro, SENEC
PORTUGAL
The last man on the moon
José Caria, diretor-adjunto da PORT.COM
PORTUGAL
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ