ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

Cabo Verde institui 3 de dezembro como Dia Nacional da Morna
Revista PORT.COM • 01-Mar-2018
Cabo Verde institui 3 de dezembro como Dia Nacional da Morna



O Parlamento cabo-verdiano aprovou, por unanimidade, a data de 3 de dezembro como Dia Nacional da Morna, quando o país está prestes a apresentar o processo de candidatura do género musical a Património Imaterial da Humanidade.

O projeto de lei, uma iniciativa do grupo parlamentar do partido no poder, o Movimento para a Democracia (MpD), institui o 3 de dezembro como o Dia Nacional da Morna, data em que nasceu Francisco Xavier da Cruz, mais conhecido por B. Léza (1905 - 1958), considerado um dos maiores compositores do país do género musical.

O Dia Nacional da Morna visa homenagear todos os outros compositores, músicos e intérpretes, exaltar e reconhecer a sua importância e chamar atenção da sociedade cabo-verdiana para a necessidade de valorização do género musical.

O projeto de lei foi aprovado por unanimidade dos deputados presentes no Parlamento, sendo 36 votos do Movimento para a Democracia (MpD), 24 do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV) e três da União Cabo-verdiana Independente e Democrática (UCID).

Na sua declaração de voto, a deputada Dália Benoliel, do MpD, disse que o momento é "emocionante" e que o dia visa honrar o património cultural, a morna, género que considerou traduz a "alma profunda" do povo cabo-verdiano.

Por sua vez, a deputada Ana Paula Moeda, do PAICV, disse que a aprovação do 03 de dezembro como dia Nacional da Morna é "mais um marco" que alerta para a necessidade de preservação da música cabo-verdiana.

Dora Pires, da UCID, disse que a instituição do dia serve para valorizar a morna como "identidade" e "parte importante" da cultura cabo-verdiana.

Esperando que a "unidade" no Parlamento possa continuar "dentro e fora do país" através da morna, a deputada do terceiro partido cabo-verdiano disse ainda que o dia serve para valorizar os intérpretes, compositores e todos os que apreciam a morna.

Depois da votação na generalidade, o projeto de lei também foi aprovado na globalidade, também por unanimidade dos deputados presentes na sala de sessões, sendo 34 do MpD, 25 do PAICV e três da UCID.

O ministro da Cultura e das Indústrias Criativas cabo-verdiano, Abraão Vicente, destacou a "união" em torno da instituição da data comemorativa, considerando que é um diploma que "consagra a Nação".

O ministro disse que o diploma mostra o envolvimento do público e passa uma "mensagem clara" à UNESCO de que Cabo Verde "abraça a morna como legado e património imaterial de todos".

Na mesma sessão, o governante anunciou um plano de salvaguarda da morna, que inclui o estudo e a investigação, promoção e educação, bem como a reabilitação de centros culturais e monumentos ligados às grandes figuras nacionais e a edificação, até 2021, de pelo menos 25 bustos de homenagem a grandes nomes da cultura cabo-verdiana.

Cabo Verde institui o 3 de dezembro como Dia Nacional da Morna praticamente um mês antes de apresentar o processo de candidatura à Comissão de avaliação da UNESCO do género musical a Património Imaterial da Humanidade, o que vai acontecer a 31 de março próximo.

O resultado deverá ser anunciado em dezembro de 2019.


Etiquetas
Partilhar

OPINIÃO
Significado das próximas eleições para a Assembleia da República
Paulo Pisco
Deputado do PS
Incêndios rurais: prevenir é mesmo o melhor remédio
Miguel Freitas
Sec. de Estado das Florestas
Por um regresso seguro a casa
José Artur Neves
Sec. de Estado da Proteção Civil
DISCURSO DIRETO
Monumentos ao emigrante em Portugal
Daniel Bastos, Historiador
PORTUGAL
Defesa de nova visão sobre as comunidades portuguesas
José Luís Carneiro
PORTUGAL
Um eterno e constante devir....
José Caria, diretor-adjunto da PORT.COM
PORTUGAL
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ