ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

De Leiria ao Bangladesh, por uma boa causa
Revista PORT.COM • 18-Abr-2018
De Leiria ao Bangladesh, por uma boa causa



Chama-se Rui Daniel Silva, é professor de piano, e já viajou muito por este mundo fora. Foi em setembro de 2017 que partiu de Leiria e iniciou a sua mais recente aventura: à boleia, percorrer uma rota de cerca de 40 mil quilómetros, que cruza todo o continente africano e que tem como destino o Bangladesh. Há três anos visitou pela primeira vez este país e, apesar da pobreza, “apaixonou-se” pela pureza das pessoas. Este amor à primeira vista levou o aventureiro a planear esta longa odisseia, com o objetivo de angariar fundos para ajudar as crianças da Fundação Maria Cristina no Bangladesh.

Com uma área um pouco maior que a de Portugal, o Bangladesh é um dos países mais pobres e populosos do mundo, com cerca de 160 milhões de habitantes. “Estive lá há três anos e aquilo é o caos. Sem sombra de dúvida que não é dos países mais bonitos que podemos encontrar, mas nele habitam os sorrisos mais puros e ingénuos. Uma certa dádiva concebida pelos deuses, onde todo o caos da capital Daca é simplesmente ignorado pela tremenda simpatia e ociosidade dos seus nativos.”, refere Rui.

Antes desta viagem, o professor de piano do Orfeão de Leiria já tinha visitado 109 países e sempre teve em mente fazer uma viagem longa. Foi depois de conhecer a Fundação Maria Cristina que decidiu traçar a rota até ao Bangladesh, com o intuito de dar a conhecer esta fundação e tentar angariar fundos para apoiar a sua causa.

“Decidi atravessar todo o continente africano pela dificuldade, adrenalina e aventura. Parti de Portugal à boleia e após 10 dias cheguei a Marraquexe. As paragens nas capitais são apenas para tratar do visto do país seguinte. Prefiro ficar nas aldeias com algumas tribos mesmo que não se fale a mesma língua”, adiantou à PORT.COM Rui Daniel.

Movido pela curiosidade de ver de perto a realidade fora das rotas turísticas convencionais, de ver o mundo com os seus próprios olhos, o professor não nega que apesar do espírito aventureiro sente muitas vezes “medo” quando atravessa alguns dos países assinalados no mapa. “já apanhei alguns sustos pelo caminho, nomeadamente no Mali onde tive de dormir na berma da estrada com nativos por causa dos rebeldes, antes de prosseguir viagem no dia seguinte. Fui assaltado no Burkina Faso, mas, contudo, a experiência com os nativos, principalmente as crianças, deixa-me feliz”.

A viagem reverte para a causa da Fundação Maria Cristina, que apoia crianças das favelas de Daca, capital do Bangladesh (podendo conhecer na página criada pelo viajante), e será low cost: menos de 10 euros por dia, com mochila e tenda às costas. Rui Daniel tem partilhado alguns dos momentos mais marcantes nas suas cónicas, que pode acompanhar na página de facebook Backpacking with Rui Daniel. O jovem professor está agora em Angola.

 

 


Etiquetas
Partilhar

NOTÍCIAS RELACIONADAS
OPINIÃO
A sua atitude de confiança conta: não só com o vírus...
Susana Cor de Rosa
Consultora empresarial
Os efeitos do medo do coronavírus...
Daniel Bastos
Historiador
Novo Coronavírus provoca epidemia com desfecho imprevisível
Alfredo Martins
Internista e Coordenador do NEDResp
DISCURSO DIRETO
A Fundação ISS e o apoio na África Lusófona
Eulalia Devesa, Diretora da Fundação ISS Mais Um Sorriso
PORTUGAL
«Cada vez faz menos sentido falar de emigração»
José Cesário, Deputado do PSD
PORTUGAL
O Projeto de Mobilidade na CPLP
Augusto Santos Silva, Ministro dos Negócios estrangeiros
PORTUGAL
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ