ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

Sociedade Portuguesa de Dermatologia cria programa de formação para a lusofonia
Revista PORT.COM • 21-Jul-2018
Sociedade Portuguesa de Dermatologia cria programa de formação para a lusofonia



Com o objetivo de motivar uma «relação de aproximação a outras comunidades portuguesas» e de elevar «a partilha de conhecimento e técnicas na área de dermatologia», a Sociedade Portuguesa de Dermatologia e Venereologia (SPDV) construiu um programa alargado de formação científica para dermatologistas portugueses e africanos da lusofonia.

Neste âmbito, encontra-se a decorrer, até 20 de julho, uma missão de formação e apoio assistencial em São Tomé e Príncipe, que teve início no dia 16. A partilha de experiência entre os diferentes dermatologistas portugueses, angolanos e moçambicanos, vai decorrer ao longo de cinco dias, numa formação científica para médicos São Tomenses.

Na sequência do encontro, durante três dias, irão observar doentes nos diferentes distritos e fazer tratamentos cirúrgicos no Hospital Central de São Tomé.

Em comunicado, o presidente da SPDV, António Massa, afirma que «em Portugal existem cerca de três centenas e meia de dermatologistas e meia centena de médicos em formação, o que permite estabelecer uma razoável rede nacional de cuidados de Dermatologia».

«Contudo, em muitos países do continente africano o acesso a formação e à saúde da pele ainda está em desenvolvimento. Por isso, o apoio de países nesta área da saúde, com conhecimentos da língua e da cultura, como Portugal, é fundamental e muito bem-recebido», refere.

O presidente da SPDV revela que «de modo regular vai haver encontros entre dermatologistas dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa e Portugal, para atualização e troca de experiências, numa lógica de partilha fraterna de vivências em que os colegas de África fornecem o valor da sua experiência em dermatologia tropical e os de Portugal transmitem a experiência da vida clínica na Europa».

O programa de assistência e formação a estes países, conta também com uma bolsa de formação solidária, com uma duração de cerca de quatro semanas, em Portugal, destinada a médicos internos do último ano, provenientes de cabo verde, moçambique e angola.

Ainda, em complemento a estas iniciativas, a SPDV estabeleceu um protocolo de cooperação com a Kanimambo, para apoio a doentes albinos em Moçambique. Neste âmbito, serão feitas cirurgias a albinos com cancro de pele avançado, no Hospital Central de Maputo e no Hospital Central de Nampula.

Por outro lado, será feita uma campanha de educação para mudar o cariz estigmatizante da doença.


Etiquetas
Partilhar

NOTÍCIAS RELACIONADAS
OPINIÃO
A CPLP mais perto das pessoas
Francisco Ribeiro Telles
Secretário Executivo da CPLP
Gestão multicultural das equipas
António Cunha Meneses Abrantes
Professor Auxiliar na ICN Business School de Nancy
Já se ouve o Fado na Eslovénia
João Pita Costa
Editor da revista luso-eslovena Sardinha
DISCURSO DIRETO
Memórias e recordações da emigração portuguesa na Alemanha
Daniel Bastos
PORTUGAL
«Existe muita exploração laboral perpetrada por portugueses»
Luísa Semedo
FRANÇA
«Mercado chinês tem potencial para as empresas portuguesas»
José Augusto Duarte
CHINA
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ