ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

Angola reduz gabinetes de imprensa nas embaixadas mas mantém em Portugal
Revista PORT.COM • 02-Out-2018
Angola reduz gabinetes de imprensa nas embaixadas mas mantém em Portugal



Os gabinetes de imprensa das missões diplomáticas de Angola no exterior vão ser, a partir de 2019, reduzidos a 22, com Portugal incluído entre os dez que serão mantidos na Europa.

De acordo com a informação avançada por Rui Vasco, diretor nacional de Informação do Ministério da Comunicação Social de Angola, a medida insere-se na política de ajustamento nas embaixadas angolanas levada a cabo pelo Governo de Luanda, face aos constrangimentos económicos provocados pela crise que o país enfrenta.

O início do processo começou em 2014 - Angola chegou a ter 58 serviços de imprensa - e culminará no final deste ano, com a manutenção dos gabinetes em nove países europeus (dez, com a missão diplomática em Genebra junto da ONU -, nove em África, dois nas Américas e um na Ásia, indicou Rui Vasco.

Na Europa, além de Portugal e de Genebra (ONU), serão mantidos os gabinetes de imprensa em França, Espanha, Rússia, Reino Unido, Itália, Alemanha, Turquia e Bélgica, acontecendo o mesmo na África do Sul, Costa do Marfim, Egito, Etiópia, Namíbia, Nigéria, Quénia, República Democrática do Congo e Zâmbia, estas em África.

Nas Américas, Angola irá contar com um serviço de imprensa em Washington (Estados Unidos) e no Brasil, cabendo a Pequim (China) a representação na Ásia.

A reestruturação diplomática em Angola é, porém, mais vasta, sendo que a 10 deste mês, o ministro das Relações Exteriores angolano, Manuel Augusto, anunciou o encerramento, até novembro deste ano, das embaixadas junto da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), que funciona em Lisboa, México, Canadá e Grécia.

Na mesma ocasião, Manuel Augusto anunciou também o encerramento dos consulados angolanos em Faro (Portugal), Durban (África do Sul), Frankfurt (Alemanha) e Califórnia (Estados Unidos).


Etiquetas
Partilhar

OPINIÃO
Portugal hoje, um país que incentiva ao regresso
Paulo Pisco
Deputado do PS eleito pelos portugueses na Europa
De olhos postos em África com uma estratégia de futuro
Peter Dawson
Presidente do grupo Garland
Não há tempo para se perder tempo!
Vítor Ramalho
Secretário-Geral da UCCLA
DISCURSO DIRETO
O português que ajudou a 'erguer' as memórias do World Trade Center
Luís Mendes, arquiteto
ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA
«Mobilidade no espaço da lusofonia é um dos maiores desafios»
Teresa Ribeiro, SENEC
PORTUGAL
The last man on the moon
José Caria, diretor-adjunto da PORT.COM
PORTUGAL
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ