ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

Há 2200 alunos de português no ensino básico e secundário da Califórnia
Revista PORT.COM • 25-Mar-2019
Há 2200 alunos de português no ensino básico e secundário da Califórnia



O presidente do Instituto Camões, Luís Faro Ramos, considerou que o número de alunos inscritos em aulas de português no ensino básico e secundário da Califórnia, Estados Unidos, 2200, 'não tem correspondência' com a dimensão da comunidade.

O responsável do Camões - Instituto da Cooperação e da Língua, que fez recentemente a sua primeira visita à Costa Oeste, referiu que se trata de um número «relativamente modesto» e que o objetivo do instituto é aumentá-lo «com a ajuda das comunidades e com as estruturas que já funcionam».

Luís Faro Ramos notou que «existe apetência» pelo ensino da língua e estabeleceu como desafio «aumentar o número de alunos lusodescendentes que estão nas aulas de português», sublinhando que a Califórnia «tem uma comunidade lusodescendente muito importante».

De acordo com o censo de 2010, é na Califórnia que se concentra a maior comunidade luso-americana dos Estados Unidos, mais de 346 mil pessoas.

O número de alunos de português no ensino básico e secundário em todo o país é superior a 18 mil, o que indica que a proporção de alunos na Califórnia não corresponde à dimensão da comunidade, apesar de haver um «movimento ascendente».

"Vamos fazer um trabalho no sentido de dinamizar essa vontade e ver se os números de alunos lusodescendentes inscritos nas aulas de português também podem crescer nos próximos tempos", frisou Luís Faro Ramos.

Os indicadores que o presidente recebeu na sua primeira paragem, na escola secundária de Point Loma em San Diego, foram positivos.

A escola pública tem 103 alunos de português "na fase mais avançada" de aprendizagem, entre o 10º e o 12º ano, um número "muito bom" que inclui luso-americanos, alunos com origem em países latino-americanos e também norte-americanos.

As motivações para aprender português em Point Loma variam, referiu o presidente, explicando que vão desde o aspeto cultural e literário a negócios e comunicação inter-geracional.

A intenção do Camões é agora estabelecer um protocolo com a escola, à semelhança do que acontece com outras instituições de ensino no país, estando em cima da mesa a introdução da língua portuguesa nos níveis abaixo do secundário e do básico.

O instituto está também a trabalhar para o reforço da abertura de centros de exames NEWL - National Examinations in Work Languages, tendo sido aberto esta semana um centro na universidade estadual de San Diego.

O português foi classificado como língua crítica no ano passado, o que demonstra «uma vontade assumida por parte das autoridades dos Estados Unidos de que seja uma língua com mais valor, mais créditos e mais destaque».


Etiquetas
Partilhar

OPINIÃO
Portugal hoje, um país que incentiva ao regresso
Paulo Pisco
Deputado do PS eleito pelos portugueses na Europa
De olhos postos em África com uma estratégia de futuro
Peter Dawson
Presidente do grupo Garland
Não há tempo para se perder tempo!
Vítor Ramalho
Secretário-Geral da UCCLA
DISCURSO DIRETO
O português que ajudou a 'erguer' as memórias do World Trade Center
Luís Mendes, arquiteto
ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA
«Mobilidade no espaço da lusofonia é um dos maiores desafios»
Teresa Ribeiro, SENEC
PORTUGAL
The last man on the moon
José Caria, diretor-adjunto da PORT.COM
PORTUGAL
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ