ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

Exames de certificação de língua portuguesa na Venezuela temporariamente gratuitos
Revista PORT.COM • 02-Abr-2019
Exames de certificação de língua portuguesa na Venezuela temporariamente gratuitos



Os venezuelanos e lusodescendentes interessados em certificar os seus conhecimentos do português como língua estrangeira, vão ser dispensados do pagamento das propinas.

Os venezuelanos e lusodescendentes interessados em certificar os seus conhecimentos do português como língua estrangeira, vão ser dispensados do pagamento das propinas, anunciou a Universidade Central da Venezuela (UCV).

A isenção temporária do pagamento, faz parte de um acordo entre a UCV e o Centro de Avaliação e Certificação de Português Língua Estrangeira (CAPLE), de Lisboa, explicou a diretora do Departamento de Português daquela Universidade.

«O CAPLE compreendeu que um venezuelano para apresentar um exame era um balúrdio, que um venezuelano precisa de juntar pelo menos, entre seis a sete ordenados mínimo, para apresentar o Certificado Inicial de Português Língua Estrangeira (Ciple), que é o exame mais barato», disse à agência Lusa Digna Tovar.

A decisão beneficia estudantes, mas também pessoas da comunidade portuguesa, que querem e precisam de apresentar exames para poderem trabalhar em Portugal e para obter a nacionalidade.

Digna Tovar explicou ainda que “os exames são para certificar a proficiência das pessoas que têm conhecimento em língua portuguesa, não precisam ser estudantes de português”, apenas ter mais de 15 anos de idade.

«Quem tiver conhecimento do idioma, a nível oral e escrito, pode apresentar os exames», frisou, precisando que o mais alto é o C2 do Quadro Europeu Comum de Referência para as Línguas e que consiste em «uma competência comunicativa ao nível do nativo».

Segundo Digna Tovar, para trabalhar em Portugal e na Europa idealmente as pessoas deviam apresentar pelo menos o DIPLE, um nível já de falante autónomo, independente que é capaz de comunicar-se eficazmente na Língua Portuguesa.

«Gostava de convidar as pessoas, os filhos de portugueses, e os estudantes, a apresentar os exames com consciência, não é só apresentar o exame por apresentar, porque exigem uma competência. Que entrem na página do CAPLE (http://caple.letras.ulisboa.pt) e verifiquem se têm as competências. É necessário promover a apresentação e aplicação dos exames, mas com consciência», concluiu.


Etiquetas
Partilhar

OPINIÃO
Portugal hoje, um país que incentiva ao regresso
Paulo Pisco
Deputado do PS eleito pelos portugueses na Europa
De olhos postos em África com uma estratégia de futuro
Peter Dawson
Presidente do grupo Garland
Não há tempo para se perder tempo!
Vítor Ramalho
Secretário-Geral da UCCLA
DISCURSO DIRETO
O português que ajudou a 'erguer' as memórias do World Trade Center
Luís Mendes, arquiteto
ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA
«Mobilidade no espaço da lusofonia é um dos maiores desafios»
Teresa Ribeiro, SENEC
PORTUGAL
The last man on the moon
José Caria, diretor-adjunto da PORT.COM
PORTUGAL
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ