ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

A «fórmula» de Macau. Como a região conseguiu controlar tão bem a primeira vaga do surto de COVID-19?
Revista PORT.COM • 20-Mar-2020
A «fórmula» de Macau. Como a região conseguiu controlar tão bem a primeira vaga do surto de COVID-19?



O sentido de cidadania é uma peça-chave para compreender como o COVID-19 está a ser combatido em Macau. Além das medidas rápidas por parte das autoridades, o comportamento da população é exemplar. Mas existem outros fatores que devem ser levados em conta nesta equação, até ao momento, de sucesso.

Macau foi apontado como o bom exemplo no combate à propagação do surto de COVID-19. A Região Administrativa Especial chinesa declarou estado de emergência, fechou fronteiras e decretou quarentena obrigatória durante o mês de fevereiro, após o surgimento dos primeiros casos. “No dia seguinte, já não se via ninguém nas ruas”, conta ao SAPO Lifestyle, Amélia António, residente há 37 anos e diretora da Casa de Portugal em Macau.

“A China tomou medidas drásticas, foi extremamente rigorosa no isolamento. É para fechar, fecha-se tudo de um dia para o outro”, afirma Amélia António, destacando como a população acatou, desde o primeiro momento, as indicações das autoridades.

Enquanto o novo coronavírus continuava a espalhar-se pelo mundo, Macau fechou as fronteiras e decretou quarentena obrigatória, conseguindo travar a propagação do COVID-19 no seu território, registando 10 casos, em que todas as pessoas ficaram curadas.

“Houve uma primeira corrida aos supermercados”, lembra. Mas, depois, face aos avisos do governo de que nada iria faltar, as coisas funcionaram com “calma e tranquilidade”. “Nada faltou”, assegura a residente.

“As escolas ainda não abriram. Continuamos a andar todos de máscara. Os serviços estão funcionar, mas com controlo nos acessos. Aos supermercados, só vai um elemento de cada família, normalmente, sempre o mesmo”, descreve Amélia António, lembrando que durante o período de quarentena era “obrigatório” andar de máscara nos transportes públicos.

 “Saliento os esforços desenvolvidos pelo pessoal da linha de frente, nomeadamente médicos, enfermeiros e forças de segurança, que muito contribuíram para este resultado positivo”, sublinha ao SAPO Lifestyle o médico macaense José Manuel Esteves, presidente da Associação de Médicos de Língua Portuguesa de Macau.

 

Fonte: Sapo

Leia o artigo na íntegra aqui


Etiquetas
Partilhar

NOTÍCIAS RELACIONADAS
OPINIÃO
A sua atitude de confiança conta: não só com o vírus...
Susana Cor de Rosa
Consultora empresarial
Os efeitos do medo do coronavírus...
Daniel Bastos
Historiador
Novo Coronavírus provoca epidemia com desfecho imprevisível
Alfredo Martins
Internista e Coordenador do NEDResp
DISCURSO DIRETO
A Fundação ISS e o apoio na África Lusófona
Eulalia Devesa, Diretora da Fundação ISS Mais Um Sorriso
PORTUGAL
«Cada vez faz menos sentido falar de emigração»
José Cesário, Deputado do PSD
PORTUGAL
O Projeto de Mobilidade na CPLP
Augusto Santos Silva, Ministro dos Negócios estrangeiros
PORTUGAL
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ