ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

Municípios querem reconhecer Guadiana como fronteira mais antiga da Europa
Revista PORT.COM • 11-Ago-2017
Municípios querem reconhecer Guadiana como fronteira mais antiga da Europa



O reconhecimento do rio Guadiana como a fronteira mais antiga da Europa é o objetivo da candidatura que quatro municípios portugueses e espanhóis querem submeter às Nações Unidas, disseram autarcas de Castro Marim e Vila Real de Santo António.

As duas autarquias algarvias estão separadas da localidade espanhola de Ayamonte pelo rio Guadiana, junto à foz, e as três juntaram-se também ao município espanhol de Cortegana, e anunciaram na semana passada a intenção de apresentar uma candidatura a património imaterial da humanidade da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO).

As vice-presidentes das Câmaras de Castro Marim e Vila Real de Santo António, Filomena Sintra e Conceição Cabrita, respetivamente, disseram à agência Lusa que a origem do projeto, denominado "Uma Raia de Água", surgiu de um estudo realizado pela Universidade Internacional da Andaluzia.

Filomena Sintra, vice-presidente da Câmara de Castro Marim, explicou que esta universidade desenvolveu "uma série de estudos" sobre o património na zona em que o Guadiana e o seu afluente Chança (que delimita o município de Cortegana de Portugal) separam os dois países e há investigação "já comprovada de que esta linha de fronteira é a mais antiga da Europa e provavelmente do Mundo".

Trata-se, segundo Filomena Sintra, de um "trabalho essencialmente cultural, mas que assenta num projeto científico, que arrancou do lado de lá da fronteira, e faz sentido que a Universidade do Algarve e os municípios do lado de cá acompanhem".

"É preciso dar os primeiros passos e reforçar a investigação, conseguir as parcerias certas e apoios científicos que reforcem esta tese e depois, a partir daí, iniciar um processo de pedido de classificação desta fronteira como património imaterial da humanidade", disse ainda Filomena Sinta, considerando que o projeto pode abrir portas para parcerias e cooperação em áreas como o turismo, a cultura, a agricultura ou ambiente.

A mesma fonte sublinhou que, "com o tratado de Zamora, período de restauração e invasões, esta fronteira foi sempre a mesma" e manifestou o desejo de a inscrição da candidatura, que "dependerá do andamento dos trabalhos", poder ser uma realidade dentro de um ano.

Conceição Cabrita, vice-presidente da Câmara de Vila Real de Santo António, também situou a origem do projeto "num estudo feito por um professor catedrático da universidade de Sevilha sobre a comemoração dos 750 anos do tratado de Badajoz" e que produziu investigação que referencia a fronteira luso-espanhola delimitada pelos rios Guadiana e Chança como a mais antiga da Europa e uma das mais antigas do Mundo.

"[A parceria para esta candidatura] Foi chamada uma 'Raia de Água', estamos na foz do Guadiana, é onde o rio desemboca no mar e para mim é um ponto de partida", afirmou Conceição Cabrita, considerando que é necessário "valorizar cada vez mais o nosso território" e "dar um valor importante a nível cultural e de património" para que Vila Real de Santo António, que "é sempre conhecida por sol, praia e gastronomia", possa "valorizar" outros aspetos como o "património e eventos culturais".

"Vamos candidatarmo-nos a património da humanidade, no âmbito da Eurocidade [formada entre Vila Real de Santo António, Ayamonte e Castro Marim], e todos os municípios [com relação com esta fronteira] que a partir daqui se queiram associar, podem fazê-lo. Vila Real, Castro Marim, Ayamonte e Cortegana serão os primeiros a integrar este projeto, que prevejo possa ser um projeto muito importante", frisou a autarca, referindo-se a uma estrutura administrativa já criada com municípios dos dois lados da fronteira e com capacidade para conduzir o processo.


Etiquetas
Partilhar

OPINIÃO
A Santa Casa da Misericórdia de Paris
Daniel Bastos
Historiador
Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades
José Cesário
Deputado
Ser português fora é ter Portugal dentro
Isabelle Coelho-Marques
Presidente da NYPALC
DISCURSO DIRETO
Portugal Maior
José Caria, diretor-adjunto da PORT.COM
PORTUGAL
«Português é uma língua com valor universal»
Luís Faro Ramos, presidente do Instituto Camões
PORTUGAL
«A China está pronta para nos acolher»
José Augusto Duarte, Embaixador de Portugal na China
CHINA
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ