ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

Festival Novas Invasões mostra cultura do Japão em Torres Vedras
Revista PORT.COM • 16-Ago-2017
Festival Novas Invasões mostra cultura do Japão em Torres Vedras



Em 2015, na primeira edição, com o Chile como país invasor, o festival atraiu cerca de 15 mil visitantes, número que a organização espera este ano aumentar. Todos os espetáculos acontecerão ao ar livre, com entradas gratuitas.

O Japão é este ano o país invasor do Festival Novas Invasões, que entre 31 de agosto e 03 de setembro, partindo das invasões francesas levará a Torres Vedras manifestações culturais, história e contemporaneidade.

As incursões militares de tropas francesas sobre o território português, entre 1807 e 1811, são o ponto de partida para o Festival Novas Invasões que durante quatro dias recriam o espírito das guerras peninsulares, abrindo portas à invasão de culturas de vários países.

Torres Vedras, cujas linhas defensoras travaram a invasão das tropas, deixa-se agora invadir por propostas culturais dos países envolvidos no conflito (Portugal, França, Reino Unido e Espanha) mas, sobretudo do Japão, escolhido como país invasor da segunda edição do festival bianual, que arrancou em 2015.

A escolha tem por base o facto de o escritor japonês Kazuo Dan (1912 -1976) se ter radicado em Santa Cruz, praia onde entre 1971 e 1972 se dedicou à poesia e onde em 1992 foi erigido um monumento em sua memória.

No epicentro do festival, haverá um mercado do século XVIII, que funciona como um cenário e um palco, "estabelecendo a conexão entre o presente e o passado", divulgou a organização do evento que, segundo a vereadora da Cultura, Ana Umbelino, "celebra a interculturalidade" e aproxima povos, através de atividades como cinema, dança, exposições, música, novo circo, leituras e recriações históricas.

Igrejas, largos, praças-fortes, cineteatros e sedes das associações culturais integram quase uma vintena de locais onde, nesta segunda edição, o público poderá ouvir Hiroshi Okita ou o Carrilhão LVSITANVS (o maior e mais pesado carrilhão itinerante do mundo, composto por 63 sinos e que pesa aproximadamente 12 toneladas).

O novo circo que chega de Inglaterra e as peças de teatro de Espanha e Portugal são outras das propostas do festival onde será também possível assistir a documentários e ciclos de cinema japonês.

Na dança, o programa destaca Min Tanaka e o novo conceito de "hiperdança", com apostas nacionais como o "Baile Gaiteiro", que percorrerá várias ruas da cidade.

Exposições fotográficas, instalações sonoras evocando as invasões francesas ou instalações artísticas com panos brancos e vermelhos nas janelas da cidade são outras das intervenções culturais que espelham a invasão de culturas.

Durante o certame será ainda apresentando "Terra Queimada", o romance histórico de Eduardo Gomes, dedicado às Invasões Francesas.


Etiquetas
Partilhar

OPINIÃO
Macau: uma oportunidade ainda a descobrir
Alberto Carvalho Neto
Presidente da AJEPC
A importância da participação eleitoral nas comunidades
José Luís Carneiro
SECP
4 pilares para a prevenção de Alzheimer
George Perry
Diretor da Fac. de Ciências da Univ. do Texas
DISCURSO DIRETO
A preservação da memória e identidade da emigração portuguesa na toponímia
Daniel Bastos, Historiador
PORTUGAL
Portugal a votos
José Caria, Diretor-Adjunto da PORT.com
PORTUGAL
Lusos em Luanda
Jack Soifer, Consultor Internacional
PORTUGAL
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ