ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

Festival Novas Invasões mostra cultura do Japão em Torres Vedras
Revista PORT.COM • 16-Ago-2017
Festival Novas Invasões mostra cultura do Japão em Torres Vedras



Em 2015, na primeira edição, com o Chile como país invasor, o festival atraiu cerca de 15 mil visitantes, número que a organização espera este ano aumentar. Todos os espetáculos acontecerão ao ar livre, com entradas gratuitas.

O Japão é este ano o país invasor do Festival Novas Invasões, que entre 31 de agosto e 03 de setembro, partindo das invasões francesas levará a Torres Vedras manifestações culturais, história e contemporaneidade.

As incursões militares de tropas francesas sobre o território português, entre 1807 e 1811, são o ponto de partida para o Festival Novas Invasões que durante quatro dias recriam o espírito das guerras peninsulares, abrindo portas à invasão de culturas de vários países.

Torres Vedras, cujas linhas defensoras travaram a invasão das tropas, deixa-se agora invadir por propostas culturais dos países envolvidos no conflito (Portugal, França, Reino Unido e Espanha) mas, sobretudo do Japão, escolhido como país invasor da segunda edição do festival bianual, que arrancou em 2015.

A escolha tem por base o facto de o escritor japonês Kazuo Dan (1912 -1976) se ter radicado em Santa Cruz, praia onde entre 1971 e 1972 se dedicou à poesia e onde em 1992 foi erigido um monumento em sua memória.

No epicentro do festival, haverá um mercado do século XVIII, que funciona como um cenário e um palco, "estabelecendo a conexão entre o presente e o passado", divulgou a organização do evento que, segundo a vereadora da Cultura, Ana Umbelino, "celebra a interculturalidade" e aproxima povos, através de atividades como cinema, dança, exposições, música, novo circo, leituras e recriações históricas.

Igrejas, largos, praças-fortes, cineteatros e sedes das associações culturais integram quase uma vintena de locais onde, nesta segunda edição, o público poderá ouvir Hiroshi Okita ou o Carrilhão LVSITANVS (o maior e mais pesado carrilhão itinerante do mundo, composto por 63 sinos e que pesa aproximadamente 12 toneladas).

O novo circo que chega de Inglaterra e as peças de teatro de Espanha e Portugal são outras das propostas do festival onde será também possível assistir a documentários e ciclos de cinema japonês.

Na dança, o programa destaca Min Tanaka e o novo conceito de "hiperdança", com apostas nacionais como o "Baile Gaiteiro", que percorrerá várias ruas da cidade.

Exposições fotográficas, instalações sonoras evocando as invasões francesas ou instalações artísticas com panos brancos e vermelhos nas janelas da cidade são outras das intervenções culturais que espelham a invasão de culturas.

Durante o certame será ainda apresentando "Terra Queimada", o romance histórico de Eduardo Gomes, dedicado às Invasões Francesas.


Etiquetas
Partilhar

OPINIÃO
Significado das próximas eleições para a Assembleia da República
Paulo Pisco
Deputado do PS
Incêndios rurais: prevenir é mesmo o melhor remédio
Miguel Freitas
Sec. de Estado das Florestas
Por um regresso seguro a casa
José Artur Neves
Sec. de Estado da Proteção Civil
DISCURSO DIRETO
Monumentos ao emigrante em Portugal
Daniel Bastos, Historiador
PORTUGAL
Defesa de nova visão sobre as comunidades portuguesas
José Luís Carneiro
PORTUGAL
Um eterno e constante devir....
José Caria, diretor-adjunto da PORT.COM
PORTUGAL
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ