ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

Prémio europeu do Património Cultural atribuído a jardim botânico português
Revista PORT.COM • 16-Mai-2018
Prémio europeu do Património Cultural atribuído a jardim botânico português



A reabilitação do Jardim Botânico do Palácio Nacional de Queluz encontra-se entre os vencedores deste ano do Prémio da União Europeia para o Património Cultural / Prémios Europa Nostra 2018, o mais importante prémio europeu no domínio do património. As distinções serão entregues numa cerimónia que terá lugar a 22 de junho, em Berlim, durante a primeira Cimeira Europeia do Património Cultural.

O anúncio dos vencedores de 2018 foi feito pela Comissão Europeia e pela Europa Nostra, a principal organização europeia do património representada em Portugal pelo Centro Nacional de Cultura. Os 29 vencedores de 17 países foram reconhecidos pelas suas realizações notáveis nos domínios da conservação, investigação, serviço dedicado e educação, formação e sensibilização.

O Jardim Botânico do Palácio Nacional de Queluz, que venceu na categoria Conservação, foi construído em cerca de 1770 e destruído em 1983 por uma cheia catastrófica. Em 2012, iniciou-se um projeto de investigação com vista à possível reconstrução informada do jardim, apoiada pela documentação disponível e pela identificação dos elementos ornamentais e de alvenaria deslocados durante a catástrofe e recuperados dos escombros.

A coleção botânica foi estabelecida com o apoio da Botanic Gardens Conservation International e envolveu vários parceiros europeus. O restauro foi inteiramente autofinanciado pela Parques de Sintra, com recurso a fundos obtidos exclusivamente da receita gerada pelo acolhimento de visitantes e pelas vendas de bilheteira.

«O projeto é um excelente exemplo de colaboração interdisciplinar que envolveu também a comunidade local. A divulgação dos resultados foi forte e possibilitou a conclusão do projeto. Isto irá criar sensibilização quanto aos resultados e garantir a sua sustentabilidade», notou o júri.

Para o projeto de restauro foram realizadas escavações arqueológicas para obter mais informações em fase anterior à recuperação de cada aspeto do jardim, o que resultou em escolhas informadas por parte dos conservadores, em termos de design e arquitetura paisagista.

Os trabalhos incluíram a reconstrução de quatro estufas e o restauro e conservação de azulejos pintados e elementos em alvenaria, tais como a fonte ornamental e as estátuas circundantes. Foi ainda criado um projeto educacional e interpretativo.

Entre as histórias de sucesso premiadas em 2018 estão: a reabilitação de uma igreja bizantina na Grécia – com os seus frescos únicos dos séculos VIII e IX – que foi tornada possível graças a uma cooperação proveitosa entre organizações da Grécia e da Suíça; o desenvolvimento de um novo método de conservação das casas históricas da Europa – resultado de uma parceria entre cinco instituições sedeadas em França, na Itália e na Polónia; a dedicação de uma rede internacional de ONG empenhadas, há mais de 30 anos, na proteção de Veneza; e o estabelecimento de um programa público de caráter educativo que proporciona a crianças e jovens na Finlândia a possibilidade de beneficiarem da sua herança cultural, que pode servir de inspiração para outras iniciativas europeias semelhantes.

Plácido Domingo, cantor de ópera de renome internacional e presidente da Europa Nostra afirma que «os vencedores dos Prémios são a prova viva de que o património cultural é muito mais do que a memória do passado – constitui uma chave para a compreensão do nosso presente e um recurso para o nosso futuro»

Por outro lado, o comissário Europeu para a Educação, Cultura, Juventude e Desporto, Tibor Navracsics, refere “o património cultural, em todas as suas diferentes formas, é um dos bens mais preciosos da Europa. Cria pontes entre as pessoas e as comunidades, assim como entre o passado e o futuro. É fundamental para a nossa identidade enquanto europeus e tem um papel vital no desenvolvimento económico e social».

Um total de 160 candidaturas, apresentadas por organizações e particulares de mais de 31 países europeus, foram avaliadas por júris de especialistas independentes.

Os vencedores serão homenageados na Cerimónia dos Prémios Europeus do Património Cultural, com a participação do Comissário Europeu Tibor Navracsics e por Plácido Domingo, a 22 de junho, no Centro de Congressos de Berlim. Os sete galardoados com o Grande Prémio (cada um dos quais receberá 10 mil euros), bem como o vencedor do Prémio da Escolha do Público, selecionado entre os projetos vencedores deste ano, serão anunciados durante a cerimónia.

Os cidadãos europeus, bem como o resto do mundo, podem votar online para o Prémio da Escolha do Público, mobilizando assim apoios para os projetos do seu próprio país ou de outro país da Europa.  

A Cerimónia de entrega dos Prémios Europeus do Património Cultural vai contar com a presença do Presidente da República Federal da Alemanha, Dr. Frank-Walter Steinmeier, na qualidade de patrono do Ano Europeu do Património Cultural na Alemanha. À cerimónia assistirão mil pessoas, desde altos funcionários das Instituições da União Europeia e dos Estados-Membros aos principais representantes de organizações relacionadas com o património de toda a Europa.


Etiquetas
Partilhar

NOTÍCIAS RELACIONADAS
OPINIÃO
O Observatório dos Lusodescendentes
Daniel Bastos
Historiador
La Lys: Celebrações com sentido reparador
Paulo Pisco
Deputado do PS
Ser português fora é ter Portugal dentro
Isabelle Coelho-Marques
Presidente da NYPALC
DISCURSO DIRETO
A Oriente nada de novo?
José Caria
PORTUGAL
“Acreditem no potencial que existe nas comunidades”
Isabelle Coelho-Marques
PORTUGAL
“Não foi por acaso que Portugal foi o melhor destino do mundo em 2017”
Pedro Machado
PORTUGAL
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ