ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

Papa Francisco inaugura ‘Scholas Ocurrentes’ em Cascais
Revista PORT.COM • 22-Mar-2019
Papa Francisco inaugura ‘Scholas Ocurrentes’ em Cascais



Francisco apoia este projeto e as instalações foram cedidas pela Câmara Municipal de Cascais.

O Papa Francisco inaugurou ontem, em videoconferência, desde o Vaticano, a sede portuguesa da fundação pontifícia ‘Scholas Ocurrentes’, um projeto de Educação que conta com o seu apoio pessoal.

A fundação tem a sua sede na antiga escola Conde Ferreira, no centro histórico de Cascais.

O Papa entrou em ligação, desde o Palácio de São Calisto, numa videoconferência assinalada por várias salvas de palmas, na nova sede em Portugal, onde se reuniram dezenas de pessoas, incluindo Pedro Mota Soares, presidente da Assembleia Municipal de Cascais.

O responsável saudou Francisco, falando do «orgulho» de receber um projeto que atravessou o Atlântico, com «jovens tão ligados».

«É um enorme júbilo e um enorme orgulho ter este projeto», acrescentou, acompanhado por Joana Balsemão, vereadora do Município.

Em entrevista à Agência ECCLESIA, a responsável pelos setores da Cidadania e Participação na autarquia de Cascais salientou o «agrado» em acolher a sede nacional do projeto em Cascais, cuja metodologia vai ao encontro da filosofia defendida por aquele Executivo, ou seja, «tudo começa nas pessoas e neste caso nos jovens».

«É um projeto que através desta metodologia vem buscar dentro de cada jovem o melhor que há em si. Ao final de uma jornada de Scholas Cidadania, os jovens sentem que foram ouvidos, que são úteis e chamados a ter uma opinião sobre quais é que são os principais problemas da sua sociedade, da sua geração, são chamados a procurar soluções, e sentem-se empoderados. É um processo de transformação e é a partir daqui de Cascais que queremos ajudar muito, a Fundação Scholas, a criar vagas de transformação por todos os jovens do país», realçou aquela responsável.

O Papa apelou à «criatividade», no contacto entre várias instituições, que «faz o mundo avançar».

O pontífice apresentou o ‘Scholas’ como um projeto que «semeia criatividade» e procura «despertar a comunidade com as suas próprias lideranças», sem procurá-las fora dela.

«Começaram a crescer coisas que ninguém esperava, porque os jovens querem propostas como estas», sustentou.

Francisco evocou a capacidade de mobilização das novas gerações, como aconteceu na recente greve estudantil pelo clima, para afirmar que «os jovens têm um potencial inimaginável» e são «o agora, o hoje», não um «entretanto», à espera do futuro.

«Os jovens são o agora e expressar-se agora, positivamente, com criatividade. Só o protesto não chega», apelou.

A intervenção sublinhou a importância do diálogo entre gerações, que ajude os mais novos a «criar raízes».


Etiquetas
Partilhar

OPINIÃO
Portugal hoje, um país que incentiva ao regresso
Paulo Pisco
Deputado do PS eleito pelos portugueses na Europa
De olhos postos em África com uma estratégia de futuro
Peter Dawson
Presidente do grupo Garland
Não há tempo para se perder tempo!
Vítor Ramalho
Secretário-Geral da UCCLA
DISCURSO DIRETO
O português que ajudou a 'erguer' as memórias do World Trade Center
Luís Mendes, arquiteto
ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA
«Mobilidade no espaço da lusofonia é um dos maiores desafios»
Teresa Ribeiro, SENEC
PORTUGAL
The last man on the moon
José Caria, diretor-adjunto da PORT.COM
PORTUGAL
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ