ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

Trabalho de Joana Vasconcelos em exposição no museu Max Ernst
Revista PORT.COM • 01-Abr-2019
Trabalho de Joana Vasconcelos em exposição no museu Max Ernst



O Museu Max Ernst, em Brühl, inaugura no dia 06 de abril uma exposição individual de Joana Vasconcelos, que revisita os seus 20 anos de carreira, naquela que será a primeira mostra da artista plástica portuguesa num museu alemão.

Intitulada 'Maximal', a mostra vai estar patente no 'Max Ernst Museum Brühl des LVR' até dia 4 de agosto, e reúne uma seleção de vinte obras da artista, segundo informação divulgada pelo atelier de Joana Vasconcelos.

O trabalho a ser exposto inclui peças que vão desde os emblemáticos 'Coração Independente Vermelho' e 'Carmen Miranda', da série 'Sapatos', até outras mais antigas, como 'Brise' e 'Spin' (ambas de 2001), 'Esposas' e 'Passerelle' (de 2005), passando por algumas raramente apresentadas ao público, como 'Style for Your Hair' (2000) ou 'Matilha' (2005).

A exposição contará ainda com várias obras das séries têxteis da artista.

Segundo uma nota divulgada pelo museu alemão, estes 20 objetos fornecem "informações abrangentes" sobre a forma de trabalhar de Joana Vasconcelos.

A artista, que vive e trabalha em Lisboa, é conhecida pelos seus grandes trabalhos espaciais, com os quais explora as fronteiras entre o tradicional e o moderno, a alta cultura e a cultura quotidiana, o artesanato tradicional e a produção industrial.

Joana Vasconcelos atraiu a atenção internacional pela primeira vez na Bienal de Veneza em 2005 com seu trabalho 'A noiva' (The Bride), um lustre monumental criado a partir de milhares de tampões.

Em 2012, tornou-se a primeira artista mulher a ser convidada para uma exposição individual no Palácio de Versalhes.

Para criar as suas obras de grande formato, Joana Vasconcelos recorre frequentemente a objetos quotidianos, que a artista descontextualiza e reinterpreta, transformando-os numa espécie idiossincrática de peça de arte surreal, refere o museu alemão.

Joana Vasconcelos retoma muitas vezes os icónicos símbolos da arte folclórica tradicional, como é patente na sua instalação "Coração Independente Vermelho", um objeto de grandes dimensões, feito de talheres de plástico e acompanhado de música de fado.

Outro destaque da exposição é o trabalho 'Carmen Miranda', um sapato de salto alto de três metros de altura feito de panelas e tampas de aço soldadas, que entra em diálogo com a grande escultura de Max Ernst "Capricórnio", da coleção permanente, no chamado salão de dança do Museu.


Etiquetas
Partilhar

OPINIÃO
A sua atitude de confiança conta: não só com o vírus...
Susana Cor de Rosa
Consultora empresarial
Os efeitos do medo do coronavírus...
Daniel Bastos
Historiador
Novo Coronavírus provoca epidemia com desfecho imprevisível
Alfredo Martins
Internista e Coordenador do NEDResp
DISCURSO DIRETO
A Fundação ISS e o apoio na África Lusófona
Eulalia Devesa, Diretora da Fundação ISS Mais Um Sorriso
PORTUGAL
«Cada vez faz menos sentido falar de emigração»
José Cesário, Deputado do PSD
PORTUGAL
O Projeto de Mobilidade na CPLP
Augusto Santos Silva, Ministro dos Negócios estrangeiros
PORTUGAL
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ