ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

Trabalho de Joana Vasconcelos em exposição no museu Max Ernst
Revista PORT.COM • 01-Abr-2019
Trabalho de Joana Vasconcelos em exposição no museu Max Ernst



O Museu Max Ernst, em Brühl, inaugura no dia 06 de abril uma exposição individual de Joana Vasconcelos, que revisita os seus 20 anos de carreira, naquela que será a primeira mostra da artista plástica portuguesa num museu alemão.

Intitulada 'Maximal', a mostra vai estar patente no 'Max Ernst Museum Brühl des LVR' até dia 4 de agosto, e reúne uma seleção de vinte obras da artista, segundo informação divulgada pelo atelier de Joana Vasconcelos.

O trabalho a ser exposto inclui peças que vão desde os emblemáticos 'Coração Independente Vermelho' e 'Carmen Miranda', da série 'Sapatos', até outras mais antigas, como 'Brise' e 'Spin' (ambas de 2001), 'Esposas' e 'Passerelle' (de 2005), passando por algumas raramente apresentadas ao público, como 'Style for Your Hair' (2000) ou 'Matilha' (2005).

A exposição contará ainda com várias obras das séries têxteis da artista.

Segundo uma nota divulgada pelo museu alemão, estes 20 objetos fornecem "informações abrangentes" sobre a forma de trabalhar de Joana Vasconcelos.

A artista, que vive e trabalha em Lisboa, é conhecida pelos seus grandes trabalhos espaciais, com os quais explora as fronteiras entre o tradicional e o moderno, a alta cultura e a cultura quotidiana, o artesanato tradicional e a produção industrial.

Joana Vasconcelos atraiu a atenção internacional pela primeira vez na Bienal de Veneza em 2005 com seu trabalho 'A noiva' (The Bride), um lustre monumental criado a partir de milhares de tampões.

Em 2012, tornou-se a primeira artista mulher a ser convidada para uma exposição individual no Palácio de Versalhes.

Para criar as suas obras de grande formato, Joana Vasconcelos recorre frequentemente a objetos quotidianos, que a artista descontextualiza e reinterpreta, transformando-os numa espécie idiossincrática de peça de arte surreal, refere o museu alemão.

Joana Vasconcelos retoma muitas vezes os icónicos símbolos da arte folclórica tradicional, como é patente na sua instalação "Coração Independente Vermelho", um objeto de grandes dimensões, feito de talheres de plástico e acompanhado de música de fado.

Outro destaque da exposição é o trabalho 'Carmen Miranda', um sapato de salto alto de três metros de altura feito de panelas e tampas de aço soldadas, que entra em diálogo com a grande escultura de Max Ernst "Capricórnio", da coleção permanente, no chamado salão de dança do Museu.


Etiquetas
Partilhar

OPINIÃO
InPortugal 2020 Paris quer desenvolver nova rede de embaixadores
Ricardo Simões
Diretor do InPortugal
Pacto Ecológico Europeu – uma primeira avaliação
Francisco Ferreira
Presidente da Direção da ZERO
Nação luso-brasileira
Igor Pereira Lopes
Jornalista e escritor
DISCURSO DIRETO
«Cada vez faz menos sentido falar de emigração»
José Cesário, Deputado do PSD
PORTUGAL
O Projeto de Mobilidade na CPLP
Augusto Santos Silva, Ministro dos Negócios estrangeiros
PORTUGAL
O Devir da Lusofonia
Isabelle de Oliveira, Investigadora
PORTUGAL
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ