ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

Cem anos de obras de artistas portuguesas chegam a França e Bélgica através da Gulbenkian
Revista PORT.COM • 17-Dez-2019
Cem anos de obras de artistas portuguesas chegam a França e Bélgica através da Gulbenkian



Uma seleção de obras de artistas portuguesas dos últimos 120 anos vai ser apresentada numa exposição na Bélgica e em França, em 2021, no âmbito de uma parceria assinada entre o Ministério da Cultura e a Fundação Gulbenkian.

O protocolo de colaboração para a realização das exposições foi ontem (16 de dezembro) assinado, em Lisboa, na sede da Fundação Calouste Gulbenkian, pela ministra da Cultura, Graça Fonseca, e a presidente da instituição, Isabel Mota, na presença de deputados, artistas e embaixadores.

A exposição em torno das mulheres artistas portuguesas vai acontecer por ocasião da Presidência Portuguesa da União Europeia, e será apresentada no centro de artes Bozar, em Bruxelas, no primeiro semestre de 2021, e seguirá, no segundo semestre, para o Centro de Criação Contemporânea Olivier Debré, na cidade francesa de Tours, no âmbito da “Temporada Cruzada Portugal-França”.

Isabel Mota, presidente da Gulbenkian, sublinhou, no seu discurso, que aceitou o desafio lançado pela ministra da Cultura porque “está em sintonia” com alguns dos objetivos da política cultural da fundação, nomeadamente a promoção, tanto da cultura e da arte portuguesa a nível internacional, como a paridade de género.

A presidente apontou que o projeto – que será comissariado pela historiadora de Arte e curadora Helena de Freitas – vai mostrar “uma vontade de reconhecer que há um espaço de criação, que pertence a estas artistas, que nem sempre teve o reconhecimento merecido”.

As artistas portuguesas “constituem um caso singular de alcance internacional, em particular no confronto com o percurso dos artistas masculinos da mesma geração, na segunda metade do século XX”, acrescentou.

“Este projeto serve também para tentar compreender as razões pelas quais um número surpreendente de mulheres artistas vingou internacionalmente, quando o contexto social, político e económico não favorecia, em geral, tal visibilidade da criação artística portuguesa”, disse a presidente de Gulbenkian.

A exposição intitula-se “Artistas Mulheres em Portugal – De 1900 aos nossos dias”, e terá curadoria e coordenação científica da historiadora de Arte Helena de Freitas, conservadora do Museu Calouste Gulbenkian, que, por seu turno, escolheu o curador Bruno Marchand para a acompanhar neste projeto.

A partir de fevereiro de 2021, as obras de mulheres artistas portuguesas vão estar expostas em Bruxelas, no Bozar, “um dos centros de arte mais importantes da Europa”, projetado pelo arquiteto belga Victor Horta, um dos pioneiros da Arte Nova, e que “garante a visibilidade e notoriedade internacional deste projeto singular”.

Em outubro de 2021, a exposição será também apresentada em França, no Centre de Création Contemporaine Olivier Debré, em Tours, integrada no programa geral da Saison Culturelle France-Portugal, e, em 2022, deverá ser apresentada em Portugal, num local ainda a indicar.

 


Etiquetas
Partilhar

NOTÍCIAS RELACIONADAS
OPINIÃO
A sua atitude de confiança conta: não só com o vírus...
Susana Cor de Rosa
Consultora empresarial
Os efeitos do medo do coronavírus...
Daniel Bastos
Historiador
Novo Coronavírus provoca epidemia com desfecho imprevisível
Alfredo Martins
Internista e Coordenador do NEDResp
DISCURSO DIRETO
A Fundação ISS e o apoio na África Lusófona
Eulalia Devesa, Diretora da Fundação ISS Mais Um Sorriso
PORTUGAL
«Cada vez faz menos sentido falar de emigração»
José Cesário, Deputado do PSD
PORTUGAL
O Projeto de Mobilidade na CPLP
Augusto Santos Silva, Ministro dos Negócios estrangeiros
PORTUGAL
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ