ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

Confraria do Arroz defende produto pouco valorizado
Revista PORT.COM • 18-Mar-2017
Confraria do Arroz defende produto pouco valorizado



Oliveira de Azeméis, onde é tratado 70% do arroz consumido no país, tem agora uma confraria para defender o alimento, que, segundo os fundadores da instituição, é muito pouco valorizado, apesar de integrar toda a gastronomia regional portuguesa.

Promover esse cereal é assim o principal objetivo da Confraria do Arroz e Sabores de Azeméis, que arrancou a sua atividade com 40 membros fundadores, nenhum dos quais ligado à indústria alimentar ou da restauração.

"Fazia todo o sentido ter uma confraria dedicada a este produto em Oliveira de Azeméis, que é a terra portuguesa com o segundo alvará mais antigo para descasque de arroz e o município que atualmente descasca e embala 70% do arroz consumido em Portugal", declarou à Lusa o porta-voz da instituição, Mário Pangaio.

"O arroz está presente em toda a gastronomia portuguesa, de Norte a Sul do país e também nas ilhas, mas a realidade é que é muito pouco valorizado", lamenta o confrade. "Toda a gente diz que há 1001 pratos de bacalhau, mas esquecem-se que de arroz há o mesmo número e, acrescentando-se o arroz branco, já passam logo a ser 1002", realça.

Como a própria designação da confraria indica, essa entidade também está empenhada na promoção de outros sabores de Oliveira de Azeméis, como as papas de S. Miguel, o pão e regueifa de Ul e os zamacóis - até porque muitos dos pratos locais "incluem farinhas que começaram por ser moídas nos mesmos moinhos de água onde se fazia o descasque do arroz".

Mário Pangaio pretende, aliás, realizar no concelho uma recolha de testemunhos que permita preservar para a posteridade as memórias locais relacionadas com a história do arroz, sobretudo no que se refere aos "tempos de ilegalidade da candonga", no século XIX, quando o descasque se fazia de forma clandestina para evitar o pagamento de tributos.

Outro objetivo da confraria é lançar um evento de periodicidade regular para divulgação de pratos e tradições relacionadas com o arroz.

"Em Portugal há festivais gastronómicos em todo o lado e não há um que seja exclusivamente sobre arroz", nota o porta-voz da instituição. "Mas vai deixar de ser assim, garantidamente", conclui.


Etiquetas
Partilhar

OPINIÃO
Os efeitos do medo do coronavírus...
Daniel Bastos
Historiador
Novo Coronavírus provoca epidemia com desfecho imprevisível
Alfredo Martins
Internista e Coordenador do NEDResp
InPortugal 2020 Paris quer desenvolver nova rede de embaixadores
Ricardo Simões
Diretor do InPortugal
DISCURSO DIRETO
A Fundação ISS e o apoio na África Lusófona
Eulalia Devesa, Diretora da Fundação ISS Mais Um Sorriso
PORTUGAL
«Cada vez faz menos sentido falar de emigração»
José Cesário, Deputado do PSD
PORTUGAL
O Projeto de Mobilidade na CPLP
Augusto Santos Silva, Ministro dos Negócios estrangeiros
PORTUGAL
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ