ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

Bola doce é obrigatória nas mesas de Páscoa do Planalto Mirandês
Revista PORT.COM • 15-Abr-2017
Bola doce é obrigatória nas mesas de Páscoa do Planalto Mirandês



Em tempo de Páscoa, a bola doce é presença obrigatória à mesa dos apreciadores do Planalto Mirandês, no distrito de Bragança, devido ao seu sabor único e textura diferenciada, o que lhe permitiu ganhar visibilidade fora do seu território.

A bola doce é um dos ícones da doçaria conventual do Planalto Mirandês, confecionada com canela e açúcar às camadas, sendo amassada à mão, cozida num forno tradicional e servida na quadra pascal.

Para confecionar este folar, os ingredientes terão de ser bem selecionados e a massa bem esticada para dar origem a um doce húmido, com camadas muito finas separadas por canela e açúcar.

Segundo a tradição mais antiga, esta bola é confecionada com farinha de trigo, ovos, canela, açúcar, fermento padeiro, manteiga, azeite, e sal. A quantidade de ingredientes depende do peso de cada bola.

A bola doce mirandesa deixou de ser um fenómeno sazonal e assumiu o papel de produto regional que já é vendido durante todo o ano em Lisboa, no Porto e em alguns pontos de França e Espanha.

Segundo o historiador, António Rodrigues Mourinho, a bola doce é uma peça de pastelaria, com origem, pelo menos, em tempos dos descobrimentos portugueses.

"Há registos pelo menos desde 1510 que indicam [esta como] a data mais provável da introdução da bola doce nas mesas dos habitantes do Planalto Mirandês. A tradição foi herdada dos conventos ou de famílias do clero e de gente rica. O povo foi modificando à maneira regional, dando-lhe uma forma e sabor próprio que a distingue da doçaria de outras regiões", afiançou o investigador.

Dadas as suas características, a autarquia deu início o processo de registo da Bola Doce Mirandesa para que seja considerada um "produto genuíno" da região do Planalto Mirandês.

A bola doce tem mesmo um certame que lhe é dedicado e que termina hoje na cidade de Miranda do Douro, numa organização conjunta do município e de uma associação de produtores.


Etiquetas
Partilhar

OPINIÃO
Portugal hoje, um país que incentiva ao regresso
Paulo Pisco
Deputado do PS eleito pelos portugueses na Europa
De olhos postos em África com uma estratégia de futuro
Peter Dawson
Presidente do grupo Garland
Não há tempo para se perder tempo!
Vítor Ramalho
Secretário-Geral da UCCLA
DISCURSO DIRETO
O português que ajudou a 'erguer' as memórias do World Trade Center
Luís Mendes, arquiteto
ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA
«Mobilidade no espaço da lusofonia é um dos maiores desafios»
Teresa Ribeiro, SENEC
PORTUGAL
The last man on the moon
José Caria, diretor-adjunto da PORT.COM
PORTUGAL
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ