ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

Sericaia: o doce alentejano com 'marcas' dos descobrimentos portugueses
Revista PORT.COM • 26-Jan-2019
Sericaia: o doce alentejano com 'marcas' dos descobrimentos portugueses



Há quem diga que a sericaia é oriunda da Índia e outros que vem do Brasil – o que se sabe ao certo é que esta receita foi implementada no Alentejo.

A Sericaia, também conhecida por Sericá ou Cericá, é um doce tipicamente alentejano, com marcas da doçaria conventual – em que há uma abundante utilização de ovos e canela. Há quem diga que a sericaia é oriunda da Índia e outros que vem do Brasil – o que se sabe ao certo é que esta receita foi implementada no Alentejo pelas mãos habilidosas das freiras do convento de Elvas e de Vila Viçosa, reclamando ambos para si os direitos da sua importação.

Umas deram-lhe o nome de Sericaia e outras de Sericá, sendo que a tradição está mais ligada a Elvas, onde o doce é decorado com as famosas ameixas da região.

O toque da canela e a textura fofa fazem deste doce uma verdadeira delicia. No entanto, o segredo deste doce conventual, mais do que os ingredientes utilizados, está na forma de o deitar, num prato de estanho ou barro, às colheradas desencontradas. Ao cozer a sericaia, esta deverá abrir gretas à superfície, dando-lhe o seu aspeto característico.

Ingredientes:

• 1 limão,
• 1 litro de leite,
• 1 pau de canela,
• 1 pitada de sal,
• 12 ovos (claras e gemas separadas),
• 150 g de farinha de trigo,
• 500 g de açúcar,
• Canela em pó q.b..

Confeção:


Ligar o forno a 225.° C.

Levar o leite a ferver, juntamente com a casca de limão, o pau de canela e sal. Retirar do lume quando estiver pronto e deixar arrefecer. Entretanto, bater muito bem as gemas com o açúcar até obter um creme fofo.

À parte, dissolver, aos poucos, a farinha no leite, juntar o creme de gemas e açúcar e, mexendo sempre, levar a engrossar em lume brando.

Retirar do calor, tirar a casca de limão e o pau de canela e deixar arrefecer.

Bater as claras em castelo bem firme e incorporá-las, cuidadosamente, no preparado anterior, que deverá estar frio ou morno.

Levar ao forno o tradicional prato de barro, fundo e largo, para aquecer.

Deitar o creme no prato em colheradas desencontradas — uma no sentido do centro para as bordas do prato e a outra atravessada.

Polvilhar, abundantemente, com canela e levar a cozer durante cerca de 1 hora. Verificar, no entanto, a cozedura fazendo o teste do palito — se este sair seco, colocando-o no centro do doce, a sericaia está pronta.

Não se esqueça de a acompanhar com uma ameixa de Elvas e delicie-se com esta maravilha da gastronomia portuguesa.


Etiquetas
Partilhar

OPINIÃO
O acervo bibliográfico sobre a emigração portuguesa
Daniel Bastos
Historiador
Defender a União Europeia e os direitos de cidadania
Paulo Pisco
Deputado do PS
Saibamos aumentar a participação cívica das nossas comunidades
José Cesário
Deputado do PSD
DISCURSO DIRETO
Dia de Portugal e 5.º aniversário da Revista PORT.COM
Marcelo Rebelo de Sousa
PORTUGAL
Língua portuguesa, um passaporte para o presente e para o futuro
Luís Faro Ramos, pres. do Camões I.P.
PORTUGAL
Função de grande responsabilidade e relevância social
José Luís Carneiro, SEC
PORTUGAL
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ