ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

Comboio histórico do Douro regressa em junho
Revista PORT.COM • 06-Mai-2017
Comboio histórico do Douro regressa em junho



O programa do comboio histórico na linha do Douro arrancou no final da década de 90.

O comboio histórico regressa à linha do Douro a 03 de junho, para uma campanha que inclui 50 viagens, entre a Régua e o Tua, até 29 de outubro.

A edição 2016 ficou marcada pelo regresso da locomotiva a vapor que foi alvo de uma "intervenção inovadora" para substituir a tração a carvão pelo diesel. Nesse ano, foram transportados 9.152 passageiros, um número que se traduz numa ocupação média de 218 passageiros por comboio.

Agora, em 2017, segundo adiantou fonte da CP - Comboios de Portugal, estão previstas mais viagens, num total de 50 circulações, entre 03 de junho e 29 de outubro.

A empresa especificou que haverá circulações em todos os fins de semana durante este período (22 sábados e 22 domingos), ainda em cinco quartas-feiras (de 02 a 30 de agosto) e uma terça-feira (15 de agosto).

A locomotiva a vapor, que puxa cinco carruagens históricas de madeira datadas do início do século XX, parte do Peso da Régua, distrito de Vila Real, e segue até ao Tua, concelho de Carrazeda de Ansiães, distrito de Bragança, numa viagem com vista para o rio Douro e as vinhas em socalco, em pleno Património Mundial da UNESCO.

Pelo meio, o comboio para na estação do Pinhão, onde os passageiros podem ver os 25 painéis de azulejo do edifício principal e ainda visitar a loja Wine House.

Durante todo o trajeto, há animação, assegurada por um grupo de cantares regionais, ainda uma degustação de vinho do Porto e distribuição de rebuçados da Régua.

A empresa aposta nos bilhetes combinados, que integram a viagem no comboio histórico e as viagens de ida e volta, a partir de vários pontos do país (Norte, Centro, Alentejo e Algarve).

Em 2013, a CP decidiu retirar a locomotiva a vapor da campanha do comboio histórico, para proceder à sua adaptação às exigências ambientais do século XXI e tornar o comboio mais eficiente do ponto de vista operacional e energético, o que teve reflexos na "sua sustentabilidade económica".

A nova caldeira é uma reprodução da original e permite um funcionamento com menos fumo, sem cinza e sem riscos de incêndio.

Segundo a empresa, apesar da substituição temporária da locomotiva a vapor, este produto continuou a registar um crescimento em volume de passageiros e uma ocupação média por comboio elevada.

Em 2013, 2014 e 2015 transportaram-se 2.672, 3.416 e 6.202 passageiros.


Etiquetas
Partilhar

OPINIÃO
Significado das próximas eleições para a Assembleia da República
Paulo Pisco
Deputado do PS
Incêndios rurais: prevenir é mesmo o melhor remédio
Miguel Freitas
Sec. de Estado das Florestas
Por um regresso seguro a casa
José Artur Neves
Sec. de Estado da Proteção Civil
DISCURSO DIRETO
A emigração portuguesa para a Holanda
Daniel Bastos, Historiador
PORTUGAL
Defesa de nova visão sobre as comunidades portuguesas
José Luís Carneiro
PORTUGAL
Um eterno e constante devir....
José Caria, diretor-adjunto da PORT.COM
PORTUGAL
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ