ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

Pedro Machado, presidente do Turismo do Centro, em entrevista à Revista PORT.COM
Revista PORT.COM • 02-Abr-2018
Pedro Machado, presidente do Turismo do Centro, em entrevista à Revista PORT.COM



Durante a edição deste ano da BTL, a mais importante feira de turismo do país e que decorreu no início de março, em Lisboa, a PORT.COM esteve à conversa com Pedro Machado, o presidente do Turismo do Centro. O atual momento, os desafios para o setor e, em particular, a dinâmica turística da Região Centro foram alguns dos temas centrais que dominaram a conversa.

Em 2017 o turismo em Portugal atingiu valores recorde. Que balanço faz?

O ano de 2017 foi, de facto, um ano histórico para o turismo em Portugal e, em particular, para o turismo no Centro de Portugal, que foi uma das regiões que cresceu de forma mais notória. O ano passado foi mais uma etapa num percurso de sucesso para o nosso país, que tem conquistado cada vez mais expressão internacional enquanto destino privilegiado para quem procura um local para passar férias de grande qualidade a um bom preço, sejam curtas ou de longa duração, ou organizar um congresso num sítio diferente. 

Não foi por acaso que Portugal foi considerado o melhor destino do mundo em 2017. De norte a sul do país, passando pelas ilhas, o nosso país tem muito para oferecer a quem nos procura. Desde logo, a hospitalidade das pessoas, que é uma forte imagem de marca do turismo nacional. Os portugueses sabem receber e fazem questão de deixar as melhores impressões nos visitantes. Depois, a gastronomia e os vinhos: Portugal é um paraíso para os adeptos da “slow food”, daqueles que gostam de passar tempo de qualidade a desfrutar dos melhores sabores que a gastronomia tem para oferecer. Conjugado com os cenários deslumbrantes que temos para oferecer, de natureza em estado puro ao património classificado, é mais do que justo termos passado para o topo da lista dos destinos preferenciais a nível mundial.

Uma nota muito positiva para o crescimento fora da época alta. Portugal é hoje um destino que seduz 365 dias por ano, e não apenas no verão ou em outras épocas muito específicas. O produto tradicional sol e praia, que serviu durante décadas para vender o país em mercados internacionais, foi felizmente ultrapassado. A nível central percebeu-se que esse era um modelo esgotado e que não correspondia, de todo, ao enorme potencial do país, que dispõe de inúmeras possibilidades de produtos turísticos. Essa aposta na diversidade está a ser claramente ganha, embora haja ainda muito por fazer!

O Turismo do Centro, para além da maior região turística é hoje uma referência no domínio da oferta. Qual é a sua fórmula de sucesso?

O Centro de Portugal é, como diz, a maior região turística do país e aquela que apresenta uma oferta mais diversificada. Não há uma fórmula única de sucesso, mas sim um esforço diário de todos os intervenientes na área do turismo. O Centro de Portugal tem a sorte de poder contar com empresários com visão e que arriscam em seguir as suas ideias, não caindo na tentação de replicar conceitos já estafados. Não é por acaso que a qualidade da oferta tem crescido de forma tão evidente nesta região. O esforço, trabalho e visão dos empresários, e das associações empresariais, é secundado e apoiado pelas instituições da região, desde as autarquias e comunidades intermunicipais à Comissão de Coordenação, bem como, naturalmente, pela Entidade Regional Turismo Centro de Portugal.

Esse esforço é visível todos os dias, na procura de novos produtos turísticos e novas experiências que possam cativar os visitantes. Também é visível, cada vez mais, na melhoria da oferta a nível das unidades turísticas, quer pela construção de novos edifícios, quer, e sobretudo, pela requalificação da oferta já existente.

Claro que nada disto teria resultados tão positivos ao nível do crescimento da procura se na base não estivesse uma região por si só tão maravilhosa e com tanto ainda por descobrir. O Centro de Portugal é um território único, capaz de atrair o visitante mais curioso, exigente, crítico e criativo.

É fácil gerir e comunicar uma oferta turística tão diversificada e com tantos produtos distintos, que vão desde a gastronomia ao turismo religioso, por exemplo, como existe hoje na região Centro?

É um desafio, que enfrentamos diariamente no Turismo Centro de Portugal, mas que é facilitado pela qualidade da oferta de que dispomos. Seria muito mais difícil se não tivéssemos produtos diferenciadores e únicos para oferecer. Se dispuséssemos apenas de um ou dois produtos turísticos, como é a realidade de outras regiões, seguramente que a nossa missão seria menos aliciante. Aqui, a dificuldade maior é exatamente a oposta: encontrar um equilíbrio entre a diversidade que é o Centro de Portugal e encontrar o melhor que cada um dos 100 concelhos tem para oferecer a quem os visita.

O território do Centro de Portugal vai desde Ovar, Castro Daire, Meda e Figueira de Castelo Rodrigo, no seu limite norte, a Torres Vedras, Torres Novas, Abrantes e Vila Velha de Ródão, no extremo sul. É a maior e a mais diversa região do país e tem lugares tão genuínos como a Serra da Estrela, o Tejo Internacional, Coimbra, Aveiro, Viseu, Leiria, o Oeste ou o Médio Tejo. Os dois maiores rios que nascem em Portugal, o Mondego e o Zêzere, correm integralmente nesta região. Integra parques naturais (Serra da Estrela, Tejo Internacional e Serras de Aire e Candeeiros), reservas naturais, paisagens protegidas, monumentos naturais, quatro sítios classificados pela UNESCO como Património da Humanidade (Mosteiro de Alcobaça, Mosteiro da Batalha, Convento de Cristo e Universidade de Coimbra, Alta e Sofia), e importantes destinos de turismo religioso (Fátima, Caminhos de Santiago ou turismo judaico, por exemplo). A tudo isto, acresce um vasto património imaterial.

E tem muito mais. É um paraíso para quem procura – e são cada vez mais! – destinos de turismo ativo e desportivo, por exemplo. Desde logo, porque tem a melhor costa de surf da Europa, com a Nazaré, Peniche e a Figueira da Foz. 

Também pelas centenas de quilómetros de percursos sinalizados para prática de walking e cycling. Ou com as termas e spas de que a região é rica.

A diversidade do Centro de Portugal permite-nos apresentar a região como destino indicado para quem procura uma multiplicidade de produtos e experiências turísticas, como a História, a tradição e as experiências religiosas; a natureza e o desporto; a saúde e o bem-estar; a gastronomia e os vinhos; o sol, as praias, de mar ou fluviais; a neve e as montanhas... Este é um território verdadeiramente rico!

 

Veja a entrevista na íntegra na edição de abril da Revista PORT.COM.


Etiquetas
Partilhar

OPINIÃO
O retrato dos votos da emigração
José Caria
Diretor-adjunto da PORT.COM
Momentos de partilha
Nuno Pinto Magalhães
Diretor de Relações Internacionais da SCC
O acervo bibliográfico sobre a emigração portuguesa
Daniel Bastos
Historiador
DISCURSO DIRETO
Dia de Portugal e 5.º aniversário da Revista PORT.COM
Marcelo Rebelo de Sousa
PORTUGAL
Língua portuguesa, um passaporte para o presente e para o futuro
Luís Faro Ramos, pres. do Camões I.P.
PORTUGAL
Função de grande responsabilidade e relevância social
José Luís Carneiro, SEC
PORTUGAL
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ