ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

Turistas poderão ter de pagar autorização para visitar a Europa a partir de 2020
Revista PORT.COM • 01-Jun-2018
Turistas poderão ter de pagar autorização para visitar a Europa a partir de 2020



Um Sistema de Informação e Autorização de Viagem poderá vir a ser implementado na Europa já em 2020, significando que turistas não europeus poderão ter de pedir uma autorização paga para visitar a Europa.

O regulamento vai ser apresentado ao Parlamento Europeu e, caso seja aprovado, seguirá para o Conselho Europeu, para implementação em 2020. O modelo a ser adotado na UE é semelhante ao Sistema Eletrónico de Autorização de Viagem dos Estados Unidos (Esta).

O sistema de controlo de entrada de turistas não europeus, para visitar a Europa, foi proposto em junho de 2017, depois de um período intenso de ataques terroristas e elevados fluxos de imigração para países da Europa.

Segundo o Conselho Europeu, o principal objetivo é a proteção e o reforço das fronteiras externas da UE.

A partir de 2020, a União Europeia (UE) prevê integrar este novo sistema em que turistas não europeus terão de pedir, via Internet, uma autorização de entrada, que terá um custo de 7 euros por visitante.

O Sistema Europeu de Informação e Autorização de Viagem (Etias – European Travel Information and Authorisation System, em inglês) é um sistema de triagem, ligado a vários bancos de dados, que permite a verificação de informações em poucos minutos.

 “O Etias vai permitir uma redução substancial das preocupações com a segurança, através dos sistemas de recolha de informações e de dados», explicou o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker. O responsável disse que estes sistemas vão poder detetar se uma pessoa «é uma ameaça para a segurança dos países Schengen, impedindo-a entrar nas fronteiras da EU».

O Schengen é um acordo que garante aos cidadãos europeus o direito de circular em 26 países do continente, sem a necessidade de controlo de passaporte, criando uma área de livre circulação de pessoas.

«O Etias deve contribuir para identificar e reduzir crimes e atos terroristas, para além de impedir a migração irregular, diminuir tempos de procedimento de entrada nos países e melhorar a gestão das fronteiras da EU», frisou Juncker.

O sistema eletrónico destina-se a visitantes de países que não precisam de visto para a zona Schengen. Atualmente, cidadãos de 62 países não pertencentes a este espaço podem entrar na UE sem visto, por um período até 90 dias.


Etiquetas
Partilhar

NOTÍCIAS RELACIONADAS
OPINIÃO
Macau: uma oportunidade ainda a descobrir
Alberto Carvalho Neto
Presidente da AJEPC
A importância da participação eleitoral nas comunidades
José Luís Carneiro
SECP
4 pilares para a prevenção de Alzheimer
George Perry
Diretor da Fac. de Ciências da Univ. do Texas
DISCURSO DIRETO
A preservação da memória e identidade da emigração portuguesa na toponímia
Daniel Bastos, Historiador
PORTUGAL
Portugal a votos
José Caria, Diretor-Adjunto da PORT.com
PORTUGAL
Lusos em Luanda
Jack Soifer, Consultor Internacional
PORTUGAL
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ