ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

Alojamento Local recebeu 3,4 milhões de hóspedes em 2017
Revista PORT.COM • 06-Ago-2018
Alojamento Local recebeu 3,4 milhões de hóspedes em 2017



O alojamento local recebeu, em Portugal, 3,4 milhões de hóspedes em 2017, numa subida homóloga de quase 29% e 8 milhões de dormidas (+26,7%), informou o Instituto Nacional de Estatística, que revelou que foram gerados 263 milhões de euros de proveitos totais (27,6%).

No documento sobre Turismo em 2017, o Instituto Nacional de Estatística (INE) referiu que os alojamentos turísticos em Portugal receberam 24,1 milhões de hóspedes e contabilizaram 65,8 milhões de dormidas.

No final de julho de 2017, a oferta em alojamento local chegava a 2.663 estabelecimentos, correspondente a 66,6 mil camas.

Segundo o documento, as dormidas aumentaram em todas as regiões, de «forma mais expressiva no Centro (+42,3%), Área Metropolitana de Lisboa (+31,4%), Região Autónoma da Madeira (+22,5%) e Norte (+25,2%)».

‘A região da Área Metropolitana de Lisboa captou a maior proporção de dormidas (35,7% do total), seguindo-se o Norte (18,7%) e o Algarve (15,4%)», segundo o INE.

Na análise do aumento de 1,7 milhões de dormidas face a 2016, o INE referiu que 40,5% foi proveniente da região de Lisboa (678,7 mil dormidas adicionais), 18,9% do Centro (316,6 mil dormidas acrescidas) e 17,8% do Norte (acréscimo de 298,9 mil dormidas).

Houve 2,7 milhões de dormidas no alojamento local (+16,4% face a 2016) de residentes, representando 34% do total das dormidas. As dormidas dos portugueses concentraram-se, essencialmente, no Norte (25,4% do total de dormidas), Lisboa (24,2%) e Centro (23,2%).

Os mercados externos registaram 5,2 milhões de dormidas (+32,8%) e os destinos preferenciais foram Lisboa (41,7% do total de dormidas), Madeira (16,7%), Algarve (16,4%) e Norte (15,2%).

Entre os estrangeiros, a Alemanha foi o principal mercado emissor (14,9% do total das dormidas de não residentes) e apresentou um crescimento de 27,4%.

Seguiram-se os mercados francês, britânico e espanhol (+22,3%, +20,9% e +31,5%, respetivamente), com quotas de, respetivamente, 12,8%, 11,8% e 10,7% das dormidas de não residentes.

Foram ainda destacadas as subidas da Polónia (+79,8%), Estados Unidos (+64,8%) e Brasil (+54,6%).

As dormidas dos mercados alemão e polaco repartiram-se pela zona de Lisboa (33,2% e 37,8%, respetivamente) e Madeira (32,4% e 23,5%), enquanto os britânicos preferiram maioritariamente o Algarve (38,0%) e a Madeira (25,5%).

Os turistas dos Países Baixos estiveram sobretudo no Algarve (35,1%) e Lisboa (30,8%).

Os restantes principais mercados apresentaram como primeira opção Lisboa, nomeadamente residentes nos Estados Unidos (62,2%), Brasil (57,9%) e Itália (56,0%).

A estada média no alojamento local foi de 2,35 noites (-1,6%), com médias de maior permanência na Madeira (4,80 noites), Algarve (3,23 noites) e Lisboa (2,37 noites).

No alojamento local, a taxa líquida de ocupação-cama situou-se em 37,2% (+2,4 p.p.) e as regiões com valores mais elevados neste indicador foram Lisboa (49,8%), Algarve (40,7%) e Madeira (37,3%).

Os estabelecimentos de alojamento local atingiram 263 milhões de euros de proveitos totais (+27,6% em relação a 2016) e 227,5 milhões de euros de proveitos de aposento (+33,8%).

As regiões de Lisboa e do Centro apresentaram crescimentos expressivos (+39,9% e +36,4% nos proveitos totais, +45,1% e +47,4% nos de aposento, respetivamente).

O rendimento médio por quarto disponível (RevPAR) foi 25,4 euros (+16,4%), com os valores mais altos a registarem-se em Lisboa (44,2 euros) e Algarve (32,5 euros).


Etiquetas
Partilhar

OPINIÃO
Significado das próximas eleições para a Assembleia da República
Paulo Pisco
Deputado do PS
Incêndios rurais: prevenir é mesmo o melhor remédio
Miguel Freitas
Sec. de Estado das Florestas
Por um regresso seguro a casa
José Artur Neves
Sec. de Estado da Proteção Civil
DISCURSO DIRETO
Monumentos ao emigrante em Portugal
Daniel Bastos, Historiador
PORTUGAL
Defesa de nova visão sobre as comunidades portuguesas
José Luís Carneiro
PORTUGAL
Um eterno e constante devir....
José Caria, diretor-adjunto da PORT.COM
PORTUGAL
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ