ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

CPLP estuda «via verde» de vistos para turistas, avança secretária de Estado do Turismo
Revista PORT.COM • 19-Nov-2019
CPLP estuda «via verde» de vistos para turistas, avança secretária de Estado do Turismo



A secretária de Estado do Turismo, Rita Marques, disse existir a possibilidade de instituição, na CPLP, de uma «via verde» de vistos para que turistas possam viajar entre países de forma facilitada.

A posição foi assumida pela governante, em declarações à Lusa, à margem da X Reunião de ministros do Turismo da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP), que decorreu sexta-feira (15) na cidade de São Filipe, na ilha cabo-verdiana do Fogo.

Segundo Rita Marques, esta possibilidade foi um dos assuntos abordados na reunião de ontem e visa garantir a promoção conjunta do território da CPLP, embora implique ainda “muita conjugação de esforços”, desde logo ao nível das diplomacias dos nove Estados-membros.

“Mas estamos a trabalhar no sentido de ter estes corredores de via verde dentro da CPLP”, afirmou.

A secretária de Estado garantiu que Portugal está aberto aquela possibilidade, numa lógica de “complementaridade” de destinos turísticos.

“Para favorecimento de rotas aéreas entre países da CPLP que propiciem que os turistas possam entrar por exemplo num dos países da CPLP, Portugal é um exemplo, e possam depois viajar nestas geografias, com via verde ao nível de vistos, e possam desfrutar da experiência da CPLP de uma forma mais ágil, mais rápida”, acrescentou Rita Marques.

A governante portuguesa salientou ainda que, do ponto de vista de Portugal, o mercado da CPLP enquanto emissor de turistas deve também ser considerado, apontando como exemplo o caso do Brasil, que já é um dos três países emissores de turistas para Portugal que mais cresce.

“A CPLP não é um mercado a desperdiçar”, disse.

Integram a CPLP Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Portugal, Moçambique, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste.

Dentro da CPLP, na área do turismo, facilitar a emissão de vistos para estudantes do ramo da hotelaria e restauração oriundos de outros Estados-membros é também uma prioridade para Portugal, tendo em conta a falta de mão de obra que o país enfrenta.

“Nós seremos sempre países irmãos [CPLP], independente do contexto económico. Neste caso particular, no turismo, naturalmente que nós temos sempre uma predisposição para receber talento que vem destes países, que nos permite mitigar também a falta de mão de obra que temos atualmente em Portugal”, salientou Rita Marques.

Nesse sentido, a governante apontou Cabo Verde como um dos principais emissores, dentro da CPLP, de estudantes que se formam em Portugal, nesta área.

“Uns ficam, outros acabam por regressar aos seus países”, admitiu, sublinhando a lógica de intercâmbio destes programas.


Etiquetas
Partilhar

NOTÍCIAS RELACIONADAS
OPINIÃO
Os efeitos do medo do coronavírus...
Daniel Bastos
Historiador
Novo Coronavírus provoca epidemia com desfecho imprevisível
Alfredo Martins
Internista e Coordenador do NEDResp
InPortugal 2020 Paris quer desenvolver nova rede de embaixadores
Ricardo Simões
Diretor do InPortugal
DISCURSO DIRETO
A Fundação ISS e o apoio na África Lusófona
Eulalia Devesa, Diretora da Fundação ISS Mais Um Sorriso
PORTUGAL
«Cada vez faz menos sentido falar de emigração»
José Cesário, Deputado do PSD
PORTUGAL
O Projeto de Mobilidade na CPLP
Augusto Santos Silva, Ministro dos Negócios estrangeiros
PORTUGAL
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ