ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

Tecnologia portuguesa melhora comunicação entre robots e humanos
Revista PORT.COM • 18-Mai-2017
Tecnologia portuguesa melhora comunicação entre robots e humanos



Esta é a primeira tecnologia desenvolvida por um investigador desta instituição de ensino superior a ser patenteada no Japão, estando também assegurada para os Estados Unidos (EUA).

Um investigador da Faculdade de Engenharia do Porto (FEUP) desenvolveu uma tecnologia que permite melhorar a forma como os robôs e os humanos comunicam, recorrendo a estímulos auditivos como a fala e a música, bem como à dança.

Esta tecnologia, designada "Sound processing device, sound processing method and sound processing program", possibilita ao robô "mediar diversos modos de interação, otimizando a capacidade de processar sinais auditivos de diferentes naturezas, em simultâneo e em tempo-real", explicou o investigador da FEUP João Lobato Oliveira.

Para tal, a tecnologia combina técnicas de processamento de sinal auditivo, tais como o reconhecimento da fala, a deteção de batidas musicais, a localização e a separação de fontes sonoras e a supressão de ruído, provocado pelos movimentos de dança sincronizada do robô.

A titularidade da invenção divide-se entre a Universidade do Porto, o Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Tecnologia e Ciência (INESC TEC), a Universidade de Tóquio e o Honda Research Institute (HRI-JP), em Tóquio, no Japão, onde João Lobato Oliveira fez o doutoramento e o pós-doutoramento.

Além das aplicações no domínio da robótica e na melhoria das capacidades de robôs e "humanoides" que sirvam ou complementem ações humanas, a tecnologia, que demorou dois anos a ser desenvolvida, pode ainda ser aplicada no âmbito do ensino, da segurança e da prevenção.

"Humanoides", como explicou o investigador, são robôs que assumem a forma humana apresentando uma fisionomia corporal idêntica ao ser humano, com cabeça, tronco e membros, duas pernas e dois braços, e que integram capacidade sensorial que permite replicar, parcialmente ou na íntegra, os cinco sentidos humanos.

De acordo com o especialista, esta tecnologia aumenta significativamente a capacidade de um robô interpretar com maior precisão a fala de um ser humano, respondendo-lhe pela mesma via, "processando eficazmente sinais musicais" ao mesmo tempo que "sincroniza movimentos de dança".

"O Japão, seguido dos EUA e da Coreia do Sul, é o país que maior investimento faz em robótica industrial e não industrial", indicou à Lusa, informando que, no caso do Japão, "os robôs começam a integrar o dia-a-dia das pessoas, entrando na sua vida doméstica".

João Lobato Oliveira indicou ainda que, embora existam diferentes métodos desenvolvidos, a nível mundial, que permitem melhorar a interação humano-robô, baseada em estímulos, o processamento auditivo em robótica ainda está a dar os primeiros passos quando comparada, por exemplo, com o processamento visual.


Etiquetas
Partilhar

OPINIÃO
Significado das próximas eleições para a Assembleia da República
Paulo Pisco
Deputado do PS
Incêndios rurais: prevenir é mesmo o melhor remédio
Miguel Freitas
Sec. de Estado das Florestas
Por um regresso seguro a casa
José Artur Neves
Sec. de Estado da Proteção Civil
DISCURSO DIRETO
Monumentos ao emigrante em Portugal
Daniel Bastos, Historiador
PORTUGAL
Defesa de nova visão sobre as comunidades portuguesas
José Luís Carneiro
PORTUGAL
Um eterno e constante devir....
José Caria, diretor-adjunto da PORT.COM
PORTUGAL
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ