ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

Portugal e Reino Unido querem reforçar colaboração cientifica após Brexit
Revista PORT.COM • 26-Abr-2018
Portugal e Reino Unido querem reforçar colaboração cientifica após Brexit



Portugal vai fortificar a colaboração científica entre universidades e entidades britânicas, mais especificamente com o Imperial College, uma universidade de referência na área biomédica do Reino Unido.

O ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, reuniu-se esta semana em Londres com Sam Gyimah, o secretário de Estado britânico para as Universidades, Ciência, Investigação e Inovação. Nesta reunião foram discutidas formas de consolidar uma parceria nas áreas da ciência e tecnologia, abordada recentemente durante a visita do primeiro-ministro, António Costa, à homóloga britânica, Theresa May.

A decisão desta reunião consistiu na formação de grupos de trabalho entre a Fundação para a Ciência e Tecnologia e as similares inglesas para arquitetar um plano até ao final do ano, incluindo um programa específico entre Portugal e o Imperial College, onde trabalham cerca de 108 docentes e investigadores portugueses.

«É uma das instituições com mais história na relação com Portugal, e será criado um segundo grupo de trabalho específico para avançarmos numa perspetiva de colaboração, semelhante àquela existente com o MIT [Massachusetts Institute of Technology] e outras universidades norte-americanas», avançou Manuel Heitor à agência Lusa.

O Imperial College, considerada uma conceituada universidade na área biomédica e das ciências, está envolvida em programas de cooperação com África, «pode abrir uma série de triangulações que valorizam o posicionamento de Portugal no mundo» e «também o interesse enquanto país de ciência através de parcerias».

Esta fortificação da cooperação cientifica entre Portugal e o Reino Unido vem, segundo o ministro português, Manuel Heitor, valorizar e aumentar o posicionamento de Portugal no mundo, preparando parcerias para um futuro pós-Brexit.

O ministro português encontrou-se também com responsáveis de instituições governamentais, nomeadamente a UK Research and Innovation, agência britânica de financiamento para a ciência e investigação, a Innovate UK, agência ligada à inovação na indústria, e a UK Space Agency, a agência espacial britânica.

A visita terminou esta terça-feira com uma deslocação a um Centro Digital Catapult em Londres, que quer providenciar acesso a conhecimento técnico, equipamento e outros recursos, e que Lisboa quer abrir à cooperação com a rede Laboratórios Colaborativos portugueses.

Segundo Manuel Heitor, Portugal e o Reino Unido têm objetivos comuns de chegar a 2030 com 3% do Produto Interno Bruto em investimento em investigação e desenvolvimento. Atualmente, o investimento em Investigação em desenvolvimento em Portugal é de 1,3% do PIB e no Reino Unido é de 1,7%.

Além do presidente da Fundação para a Ciência e a Tecnologia, Paulo Ferrão, acompanharam o ministro o coordenador da Comissão Instaladora do AIR Centre, António Sarmento, o reitor da Universidade Nova de Lisboa, João Sàágua, o presidente do Instituto Superior Técnico, Arlindo Oliveira, o presidente do Laboratório Associado INESC TEC, José Manuel Mendonça, o diretor do Laboratório Colaborativo em Transformação Digital (Dtx), António Cunha, e Alexandra Marques, investigadora do I3Bs - Research Institute on Biomaterials, Biodegradables and Biomimetics e do "Discoveries Centre".


Etiquetas
Partilhar

OPINIÃO
A relação entre Portugal e a sua Diáspora...
José Luís Carneiro
Implicações políticas da participação eleitoral nas comunidades
Paulo Pisco
Deputado do PS
Porque não te calas?
José Caria
Diretor-Adjunto PORT.com
DISCURSO DIRETO
ENTREVISTA
Berta Nunes, secretária de Estado das Comunidades
PORTUGAL
ENTREVISTA
António Saraiva, Presidente da CIP
PORTUGAL
ENTREVISTA
Luís Faro Ramos, Presidente do Camões I.P.
PORTUGAL
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ